A Polícia Militar invadiu a Casa Fora do Eixo Amapá, centro de cultura e sede da Mídia Ninja, em Macapá, na noite de domingo (8). Segundo reportagem publicada no site da Mídia Ninja, policiais fora do horário de serviço e soldados fardados entraram sem mandado de segurança, apontaram armas e agrediram com socos e chutes as pessoas que estavam no local.




Mídia Ninja // Motos dos participantes do evento que foram derrubadas em frente ao local

No momento era realizado o projeto Domingo na Casa. Segundo a matéria, a polícia alegou ter sido acionada para conter “perturbação do sossego público” e a casa passou por uma revista minuciosa, sem que nada fosse encontrado.

Ainda de acordo com a Mídia Ninja, duas pessoas foram detidas: o articulador do Fora do Eixo e produtor cultural Otto Ramos e um participante do evento. Ambos foram conduzidos ao CIOSP (Centro Integrado de Operações e Segurança Pública), onde teriam ficado seminus, por mais de uma hora, até terem os depoimentos colhidos pelo delegado.

“A onda conservadora que assola o Brasil e o mundo autoriza a violência e normaliza casos como esses, em que a Polícia se sente no direito de invadir um espaço de resistência e atacar pessoas sem se preocupar com as consequências. “Continuaremos na luta contra o autoritarismo, o abuso de poder e a força das armas. O Fora do Eixo e a Mídia NINJA reforçam seus valores pacíficos, a importância das ações culturais e engrossa o coro pela desmilitarização da polícia brasileira, uma das que mais mata e morre no mundo. Não vão nos intimidar”, diz o texto da Mídia Ninja.

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) comentou o episódio, em sua página de Facebook: “É um absurdo que a sede da Mídia Ninja no Amapá tenha sido invadida e que parte de seus membros tenha sido agredida e até detida naquele estado! Quem deve autorizar busca e apreensão, quando for a necessidade, e certamente não é o caso do evento cultural em questão, é o judiciário. É inaceitável que o órgão do estado que deveria zelar pelo cumprimento da lei se comporte dessa maneira. Cabe ao governador Waldez Góes tomar as medidas para apurar as responsabilidades nesse incidente. Estou solidário aos ninjas e ao excelente trabalho que essa mídia alternativa e crítica oferece ao país.”

A página oficial de Facebook da Rede Sustentabilidade do Amapá também publicou um texto em apoio à Mídia Ninja: “Nosso mais duro repúdio ao flagrante abuso praticado por alguns Policiais Militares do Amapá contra os coletivos Casa Fora do Eixo Amapá e Mídia Ninja na noite do último domingo, 08 de janeiro. Na ocasião, um policial à paisana aparentemente alcoolizado e escoltado por outros colegas danificou equipamentos, veículos e agrediu pessoas gratuitamente. Abusos como esses não podem ser tolerados em um estado democrático de direito e por isso os responsáveis devem ser exemplarmente punidos. Chega de intolerância!”


Fonte: Brasileiros
Portal Vermelho
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;