Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, autorizou que os juízes auxiliares do gabinete de Teori Zavascki prossigam com os trabalhos das delações premiadas de executivos e ex-funcionários do grupo Odebrecht; decisão foi tomada na noite desta segunda-feira (23); com a morte do relator da Lava Jato em acidente aéreo ainda não esclarecido, os juízes, que tinham a delegação para atuar no caso, tiveram os trabalhos paralisados; além de acelerar as delações que podem comprometer mais de 200 políticos no Congresso, os principais auxiliares de Michel Temer e o próprio Temer, a presidente do Supremo ainda terá que decidir sobre o a relatoria da Operação Lava Jato.




Do Infomoney - A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, autorizou que os juízes auxiliares do gabinete de Teori Zavascki prossigam com os trabalhos das delações premiadas de executivos e ex-funcionários do grupo Odebrecht. Segundo o portal G1, a decisão foi tomada na noite desta segunda-feira (23).

Com a morte, os juízes, que tinham a delegação do ministro para atuarem no caso, tiveram os trabalhos paralisados. Já para esta semana, uma série de depoimentos de delatores já estava marcada. Agora com a decisão da presidente da Suprema Corte, agenda será retomada e ficam mantidos depoimentos que estavam previstos.

Além de acelerar as delações que podem comprometer mais de 200 políticos no Congresso, os principais auxiliares de Michel Temer e o próprio Temer, a presidente do Supremo ainda terá que decidir sobre o a relatoria da Operação Lava Jato.

Como o 247 mostrou, os magistrados do STF são contra a ministra Cármen Lúcia dar seguimento às delações da Odebrecht, sem que o novo relator da Lava Jato seja conhecido (leia mais).



Brasil 24/7
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: