O Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicas (Dieese) divulgou uma pesquisa nesta sexta-feira (27) que confirma que o desemprego subiu em todas as regiões do país em 2016, tornando-se a maior chaga dos brasileiros após a concretização do “golpe dos corruptos” que afastou Dilma Rousseff. De nada adianta a blindagem da mídia mercenária, que ainda tenta vender a miragem de que a economia está melhorando. O Judas Michel Temer já passa a ser visto pela sociedade como o exterminador de empregos – a exemplo do que ocorreu, no passado, com o detestado tucano FHC.

Segundo o Dieese, a taxa de desemprego cresceu em todas as regiões pesquisadas durante o ano passado: no Distrito Federal, ela foi de 14,5% para 18,6%; em Fortaleza, de 9,5% para 13,4%; em Porto Alegre, de 9,6% para 10,7%; em Salvador, de 19,9% para 25,2%; e em São Paulo, de 13,9% para 16,2%. Como resultado da explosão do desemprego, que eleva a concorrência por vagas e facilita a gula dos patrões, entre novembro de 2015 e de 2016, o rendimento médio real dos ocupados caiu em todas as regiões pesquisadas: Distrito Federal (-12%), Porto Alegre (-7,7%), Salvador (-6,4%), São Paulo (-2%) e Fortaleza (-1,8%).

Queda recorde de arrecadação
O aumento do desemprego e a queda de renda também têm efeitos na arrecadação de impostos – o que impacta os próprios serviços públicos. A Receita Federal divulgou nesta semana que a recessão agravada pela política econômica do Judas Michel resultou em 2016 no pior nível de arrecadação desde 2010. Nem mesmo a repatriação dos recursos mantidos ilegalmente por ricaços no exterior conseguiu reverter a deterioração das contas públicas. Em 2016, a arrecadação de impostos chegou a R$ 1,289 trilhão, queda de 2,97% em termos reais quando em comparação ao exercício anterior.

Segundo a Agência Reuters, a situação das contas públicas torna-se cada dia mais trágica. “Apenas em dezembro, informou a Receita Federal, a arrecadação teve baixa de 1,19 por cento sobre novembro, a 127,607 bilhões de reais. O desempenho para o mês foi o mais fraco desde 2009... O cenário de recessão impactou diretamente a arrecadação de importantes tributos, com destaque para Cofins/Pis-Pasep, com queda de 6,89 por cento sobre 2015, equivalente a 19,5 bilhões de reais, diante da queda no volume de vendas e de serviços. Também foram expressivas as retrações vistas no Imposto de Importação/IPI-Vinculado (-16,1 bilhões de reais no ano) e na receita previdenciária (-14,1 bilhões de reais), esta última fundamentalmente afetada pela redução da massa salarial no país”.


Altamiro Borges
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;