Empresa do Reino Unido justifica que recruta profissionais para trabalhar sem roupa porque está voltada ao público naturista


PABLO GUIMÓN
Londres




Antes, Laura Smith tinha um pequeno negócio “normal” de limpeza. Ela mesma tinha trabalhado como diarista durante muitos anos. Um dia, afirma, recebeu um estranho pedido de um cliente: perguntou-lhe se se importava que ele estivesse nu enquanto ela limpava a casa. O cliente explicou que era naturista e preferia não ter de se vestir durante as três horas que a diarista estivesse em sua residência. Ela aceitou. A experiência, relata, despertou seu interesse pelo naturismo. Naquele dia uma luz acendeu para Laura Smith.


“Não conhecia esse mundo”, explica Smith por telefone a EL PAÍS. “Comecei a pesquisas e vi que era uma comunidade grande, internacional e muito interessante. Por que teriam de se vestir enquanto lhes limpavam a casa? Depois, pensei que seria interessante que a pessoa que limpa pudesse estar nua também.”

Assim, explica, nasceu a Naturist Cleaners. A empresa de Smith, com sede em Londres, recruta diaristas pela Internet para trabalharem por hora em casas particulares do Reino Unido vestidas somente com luvas e chinelos. Os clientes – a agência garante que a maioria é naturista– pagam 65 libras (260 reais) a primeira hora e 55 libras (223 reais) nas seguintes, e têm de respeitar as regras: não tocar e nada de fotos ou vídeos. Também oferece diaristas vestidas, que aceitam que o cliente esteja nu enquanto trabalham, por menos da metade desse preço.


"Somos uma empresa de limpeza, não há nada de sexual nisto. Falamos de naturismo, de não contemplar o corpo humano como algo sexual"

Smith garante que é um serviço para acomunidade nudista e que contam com determinadas proteções para evitar mal-entendidos. “Deixamos claro aos clientes que não oferecemos outras coisas”, explica. “Existe um mercado de adultos para quem quiser outro tipo de oferta. Às vezes nos perguntam se oferecemos algo mais e simplesmente dizemos que não. As diaristas não usam lingerie sexy, não há elementos eróticos e trabalham pela manhã para evitar que o serviço seja entendido como algo festivo. O preço é bem mais alto que o de uma limpadora convencional. Desse modo tentamos evitar que as pessoas experimentem por diversão. Queremos clientes que compreendam a ideia do naturismo. De todo modo, treinamos as diaristas para detectarem perigos quando chegam na casa, antes de ficarem nuas.”

Não procuram “só beldades e jovens"


Buscam “diaristas responsáveis e flexíveis, sem importar a idade ou a aparência”. Também procuram homens, diz Smith, embora no site da empresa todas as fotos sejam de mulheres e os textos estejam dirigidos a elas. Para se candidatar é preciso preencher um formulário –nome, idade, estatura e disponibilidade – e juntar uma fotografia. “Recomendamos tirar uma foto de boa qualidade que possa ser, como nós chamamos, o seu cartão de visitas. Por motivos de confidencialidade você não precisa mostrar o rosto, mas tem de estar completamente nua ou de biquíni”, está explicado no site.

“Não procuramos só beldades e mulheres jovens, não somos uma agência de modelos”, diz Smith. “Mas queremos que nossos clientes fiquem contentes. Eles nos pedem detalhes, costumam querer que seja mais ou menos de sua idade, para se entenderem melhor. Temos muitos naturistas que, para ficarem mais confortáveis, pedem uma diarista mais gorda ou mais magra, se eles são gordos ou magros. Tentamos fazer com que os perfis se encaixem, para que o cliente e a diarista estejam na mesma sintonia. Muitos clientes querem nos contratar não só para que sua casa seja limpa, mas para poderem falar sobre naturismo com alguém.”

Smith admite que os serviços oferecidos por sua empresa, que está apenas começando, podem despertar interesses que vão além da comunidade naturista. “Não nos importamos de prestar nossos serviços a outras pessoas, sob certas condições: que respeitem nossas regras”, explica. “Mas se você não pertence a esse grupo, talvez não faça sentido contratar este serviço. Somos uma empresa de limpeza, não há nada de sexual nisto. Falamos de naturismo, de não contemplar o corpo humano como algo sexual.”

EL PAÍS Brasil
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis cliente. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;

Gostou do Blog? Divulgue. Curta. Compartilhe. Colabore. Aproveite os preços baixos dos livros. AQUI Últimos livros Anunciados e AQUI Tabela de Preços Promocionais