Só há uma saída constitucional para o Brasil, a volta de Dilma
por Rogério Maestri

Parece que com a chamada delação do Fim do Mundo onde fica evidente, claro e límpido que o Impeachment da Presidenta Dilma Roussef foi simplesmente uma imensa CONSPIRAÇÃO para que não seguisse adiante as investigações contra toda a cúpula atual do governo assim como dos caciques do PSDB, fica claro que só há uma única saída constitucional para o Brasil seria a anulação pura e simples via Supremo Tribunal do processo contra Dilma e a sua posse imediata.

Não há outra saída direta, nada de novas eleições indiretas de outras pessoas, pois todos aqueles que poderiam influenciar nesta eleição estão comprometidos com esquemas de corrupção imensos, não tem outra hipótese, quer dizer ou o STF recoloca Dilma ou como ela Dilma não está inelegível após a cassação ou renúncia de Temer caberia ao congresso eleger indiretamente Dilma Roussef para terminar o seu mandato.

Por que a eleição de Dilma Roussef é a única solução, simplesmente porque como o processo do Impeachment foi uma imensa CONSPITAÇÃO e fraude e surpreendentemente a única figura pública que não está envolvida em nenhum crime é exatamente a presidenta que foi distituída, logo é a solução que se impõe.

Ou Dilma volta ao palácio do Planalto e recompõe o seu governo com figuras que se encontram longe de crimes de qualquer ordem ou simplesmente este país entrará no CAOS. Outros que quiserem a presidência e não se encontrem envolvidos nas imensas listas das diversas delações que comecem a preparar suas campanhas para 2018, serão só dois anos e é melhor assumir um país com alguma ordem do que um país em frangalhos.

 GGN
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;