Procurador projeta sombra maior que ele

O procurador da república Deltan Dallagnol, aquele do Power Point do Lula, comprou em fevereiro do ano passado dois apartamentos no condomínio Le Village Pitangui, construído pela construtora FMM, em Ponta Grossa, Paraná. O empreendimento foi financiado pela Caixa Econômica Federal usando recursos destinados ao Programa Minha Casa Minha Vida.

Só que Dallagnol não foi morar lá. Nem vai.Comprou para investir, especular, faturando assim de forma indireta o juro camarada que a Caixa deu à empreiteira e que tem o carimbo social do MCMV. Nessa, aquele brasileiro sem teto que espera na fila a oportunidade de comprar seu imóvel, dançou.

Não é proibido, mas deveria ser, pegar financiamento de programa social para beneficiar investidores. Toda verba do Minha Casa Minha Vida deveria ser utilizada apenas para construir imóveis para quem fosse habitar neles e não apenas especular e ganhar dinheiro com sua valorização.

A pergunta que faço ao procurador é: Não é uma espécie de corrupção aproveitar-se de um imóvel que foi financiado com verba destinada a programa social apenas para especular e lucrar com o imóvel prejudicando de forma direta (comprando o imóvel) e indireta (especulando com ele e com isso inflacionando o mercado) o público alvo do Programa, que são os sem teto?

Fonte: DCM

Blog do Mello
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;