O Globo

Manchete: Pacote incentiva redução de dívida e eleva ganho do FGTS
Refis beneficiará pessoas físicas

Multa por demissão será reduzida

Plano prevê desburocratização

Em meio à recessão e ao agravamento da crise política, o presidente Temer lançou um pacote para estimular a economia que prevê amplo programa de regularização de dívidas tributárias para empresas e pessoas físicas. Até débitos recentes, vencidos em novembro, terão condições facilitadas. O governo também vai elevar o ganho dos trabalhadores com conta no FGTS, distribuindo parte do lucro do Fundo aos cotistas. O adicional de 10% sobre o FGTS que empresas pagam em caso de demissão sem justa causa será aos poucos extinto. Para analistas, a renegociação com o Fisco ajudará empresas e consumidores de imediato, mas o conjunto de medidas não terá impacto a curto prazo. (Pág. 19)

Preço poderá ser diferente no cartão

O governo vai editar uma medida provisória para permitir que lojistas pratiquem preços diferentes no cartão de crédito e no pagamento em dinheiro ou débito. Associações de defesa do consumidor criticaram a decisão. Em outra frente, o governo quer reduzir os juros cobrados do consumidor final. (Pág. 20)

MÍRIAM LEITÃO

Melhorar ambiente de negócios tem que ser tarefa do dia a dia. (Pág. 20)

Aliados planejam mudar transição na Previdência
Partidos governistas articulam ajuste na reforma. Todos os trabalhadores, mesmo os mais jovens, teriam direito a alteração gradual de regras. Idade mínima de 65 anos valeria para quem ainda não entrou no mercado (Pág. 21)
Choque entre poderes
O Senado recorreu ao STF para tentar revogar a liminar do ministro Luiz Fux que anulou votação da Câmara sobre o pacote anticorrupção. Os presidentes do Senado e da Câmara criticaram Fux, que diz não ter havido interferência de um poder no outro. (Págs. 3 e 4)

MERVAL PEREIRA

O ministro Fux se excedeu ao conceder a liminar. (Pág. 4)

MP denuncia Lula pela quinta vez
O ex-presidente Lula, a mulher dele, Marisa Letícia, Marcelo Odebrecht e mais cinco pessoas foram denunciados pela Lava-Jato. É a quinta denúncia contra Lula no ano, sendo três pela Operação Lava-Jato. (Pág. 5)
Plano é metrô municipal
O prefeito eleito Marcelo Crivella, diplomado ontem, quer municipalizar o metrô. Ele disse que “Deus vai ajudar a fazer o impossível”. (Págs. 9 e 10)
Quase todos os vereadores presos (Pág. 7)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Temer lança pacote; mercado vê efeito só no longo prazo
Medidas mudam FGTS e facilitam o pagamento de dívidas de empresas

O presidente Michel Temer lançou ontem um pacote de medidas para tentar reduzir endividamento de empresas, combater desemprego e burocracia e estimular a atividade econômica. “Depois da recessão é que nasce o crescimento e o emprego”, afirmou, ao lado dos presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Rodrigo Maia. Para o mercado, porém, as medidas, apesar de positivas, só devem provocar efeito, se forem realmente implementadas, no longo prazo. A lista anunciada pelo governo inclui novidades, como distribuição do lucro do FGTS entre trabalhadores cotistas, e medidas que ainda não estão prontas, como redução do prazo para que lojistas recebam dinheiro de compras em cartão de crédito. Há ainda promessas já anunciadas por gestões anteriores, como criação de cadastros nacionais de imóveis e redução de tempo de exportação e importação, e iniciativas para tentar reduzir taxas de juros cobradas por bancos. (ECONOMIA / PÁGS. B1 a B4)

Presidente é citado pela 2ª vez em delação da Odebrecht
O Planalto confirmou que Michel Temer se encontrou em São Paulo com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e um “empresário” interessado em ajudar campanhas do PMDB. Seria Márcio Faria, então presidente da Odebrecht Engenharia Industrial. Ele disse ao MPF que, na reunião em 2010, Temer e Cunha teriam pedido recursos para campanha e a liberação do dinheiro estaria vinculada a contratos da empreiteira com a Petrobrás. (POLÍTICA / PÁG. A4)
Janot analisa suspeição de Dias Toffoli em inquérito
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, analisa se pedirá o afastamento do ministro do STF Dias Toffoli de investigações sobre suposto pagamento de propina ao ex-ministro Paulo Bernardo e sua mulher, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). Mensagens apreendidas pela PF apontam que Toffoli tem “amizade íntima” com o ex-ministro da Previdência Carlos Gabas, um dos investigados. O gabinete de Toffoli diz que suas decisões se pautam na lei. (POLÍTICA / PÁG. A5)
MP Eleitoral vê traços de fraude
O Ministério Público Eleitoral achou “fortes traços de fraude e desvio de recursos” em dados da quebra de sigilo bancário de gráficas contratadas pela chapa Dilma-Temer em 2014. (PÁG. A4)
Lula é alvo de nova denúncia
Ex-presidente é acusado na Lava Jato de receber propina da Odebrecht por meio de um terreno, que seria destinado ao seu instituto, e de um apartamento em São Bernardo do Campo. (PÁG. A6)
Direto da fonte 
‘É imperativo que a ordem se acate’

A presidente do Supremo, Cármen Lúcia, faz um alerta: “É imperativo que a ordem se acate. Sem isso, os tempos podem não ser de dificuldades, mas de incontida conturbação social”. (CADERNO2 / PÁG. C2)

Haddad cumpre 66 de 123 metas
O prefeito Fernando Haddad fechará o mandato com 53% das metas cumpridas. O índice é quase o mesmo que o alcançado pelo antecessor, Gilberto Kassab (55%). (METRÓPOLE / PÁG. A14)
Notas & Informações 
Momentos esquisitos

Como as instituições podem ir bem se aqueles que delas fazem parte adotam atitudes perniciosas? (PÁG. A3)

Enquanto isso, o País afunda. (PÁG. A3)


------------------------------------------------------------------------------------


Mídia
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;