O relatório da PNUD indica que a 43,1% da população mexicana têm renda inferior a US$ 10 por dia

 
 
Gorge Gray, coordenador da pesquisa, caraterizou os resultado obtidos como “preocupantes” / Desinformémonos


Entre 2001 e 2012, pelo menos 16 milhões de pessoas no México caíram na pobreza, segundo relatório apresentado pelos Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo o informe apresentado, a população com renda de US$ 4 a US$ 10 por dia aumentou neste período, e passou a representar 43,1% dos mexicanos. Do total de pessoas consideradas pobres, 80% moram em centro urbanos; o restantes, em áreas rurais.

A pesquisa advertiu que, dos 17 indicadores utilizados para diagnosticar o nível de pobreza no país, 11 tem um rendimento inferior ao esperado. Estes indicadores são: pensão, taxa de homicídios, gravidez adolescente, participação laboral das mulheres, desigualdade de renda, licença maternidade, energia renovável e escolaridade.

George Gray, coordenador da pesquisa, caraterizou os resultado obtidos como “preocupantes”. Sobre as políticas do governo, comentou que “mais do mesmo não vai ajudar a reduzir a pobreza”.

Por outra parte, os dados estatísticos do Banco Mundial e do Conselho Nacional para Avaliação das Políticas de Desenvolvimento Social (Coneval) sinalizam que uma a cada três pessoas que vivem em condição de extrema pobreza (ou seja, têm uma renda US$ 1,30 por dia) na América Latina é de origem mexicana.

Segundo estes indicadores, o número de pessoas nesta situação na região é de 33,8 milhões de pessoas, sendo que 11,4 milhões delas estão no México.

Com informações do Desinformémonos.

Edição: Camila Rodrigues da Silva

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;