Marcelo Caléro Faria Garcia, carioca da Tijuca, não é um apolítico.

Em 2010, foi candidato a deputado federal, na campanha de José Serra, pelo PSDB.

Depois, entrou no PMDB, já participando da gestão de Eduardo Paes, anunciando novas pretensões eleitorais.

Se Temer achou que ele era um “bobinho”, que só obedeceria ordens , errou feio.

Calero tem um olho no padre e outro na missa, além de vaidade e ambição, em grandes quantidades.

O que, claro, não invalida sua denúncia sobre a falcatrua que se armava.

Mas que desperta suspeitas de que haja, de fato, a gravação que se suspeita dos diálogos “pouco republicanos” de Temer.

Ainda mais quando se firmou a tese de que gravação clandestina é o método correto das relações políticas.

Calero está longe de ser um santo, é evidente.

É da nova camada de políticos que não se acomoda em partidos, mas em grupos e e algumas relações pessoais e as dele não podiam lhe oferecer estabilidade diante do papel de mero estafeta – ou ele não sabia? – que Temer dá á maioria dos seus ministros, especialmente nesta área “desprezível” da Cultura.

Despertou como gata borralheira no seu sonho de Cinderela ministerial, subitamente reduzido a ser mandado limpar as imundícies de Geddel.

É um poço de rancor e vaidade ferida.

Por isso é tão perigoso para Temer.

Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;