Segundo a Reuters, advogados de Dilma entregaram documentos ao tribunal que dizem provar que Temer recebeu um suborno no valor de um milhão de reais.


 Michel Temer, foto da sua conta de Flickr.



De acordo com a agência Reuters, os advogados de Dilma Rousseff entregaram documentos no tribunal que, segundo eles, provam que Michel Temer terá recebido um suborno no valor de um milhão de reais, mais de 270 mil euros.

Michel Temer, do PMDB, era o vice presidente de Dilma, do PT, e foi um dos principais responsáveis pelo processo da sua destituição, na sequência do qual assumiu o cargo de Presidente, sem ter sido eleito. Se este suborno for confirmado pelo tribunal, também pode levar à destituição de Michel Temer.

Segunda a Folha de São Paulo em setembro, Otávio Azevedo, da empresa de construção Andrade Gutierrez, testemunhou que tinha feito um suborno nesse valor na campanha de reeleição de Dilma, a 10 de julho de 2014. No entanto, os advogados de Dilma Rousseff entregaram no tribunal documentos que, segundo eles, provam que esse valor, nessa mesma data, foi transferido diretamente para o fundo pessoal da campanha de Michel Temer.

Se tal for confirmado, será a prova não só de que Otávio Azevedo mentiu em tribunal, mas também que o suborno que supostamente tinha sido feito ao PT, na verdade foi para Michel Temer. Os representantes do PMDB afirmam que o depósito foi declarado legalmente e que não foi um suborno.

 Esquerda.Net
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;