Situação ficou mais difícil depois que os EUA suspenderam as negociações com a Rússia / Divulgação


Uma “nova guerra” mundial acontece na Síria nesse momento, onde estão os países mais poderosos do mundo disputando território. De um lado está o grupo liderado pela Rússia, que conta com o apoio internacional da China. Do outro, Estados Unidos e União Europeia.

Recentemente, o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, mencionou inclusive a existência de uma "nova Guerra Fria" e questionou se o mundo estava em 1962 ou 2016.

Na mesma linha, o jornal The Washington Post, dos Estados Unidos, publicou uma reportagem, no início do ano, onde descreveu o que ocorre hoje na Síria como uma "mini guerra mundial", com atores armados de vários países.

A situação ficou ainda mais difícil depois que os Estados Unidos suspenderam, no início do mês, as negociações de paz com a Rússia. Há meses os diplomatas dos dois países vinham conversando para chegar a um cessar-fogo e poder unir forças contra o grupo autodenominado Estado Islâmico.

HISTÓRICO

A guerra na Síria começou em 2011, quando opositores do governo formaram milícias armadas para derrubar o atual presidente Bashar al-Assad. Apoiadas pelos Estados Unidos, Turquia, Arábia Saudita, Israel, Catar e União Europeia, as milícias receberam armamentos pesados para combater o exército.

No entanto, parte dos milicianos são integrantes da Frente al-Nusra, ligada a Al Qaeda, antigos inimigos dos EUA no Iraque e no Afeganistão. Uma segunda parte desses grupos armados é conformada por soldado do então recém-criado (em 2011) Estado Islâmico da Síria, o ISIS (sigla do nome em inglês). E uma terceira parte dos milicianos são verdadeiros opositores, também chamados de rebeldes pela imprensa ocidental. Entretanto, para o governo sírio, são todos terroristas.

TURQUIA

Para complicar ainda mais o cenário de guerra, na fronteira da Síria com a Turquia, outro conflito que já dura mais de 30 anos se estende para o território sírio. O povo curdo, que enfrentou o Estado Islâmico e derrotou os extremistas, agora controla cerca de cinco sub-regiões da Síria, localizadas próximas à fronteira turca.

O povo curdo, considerado a maior nação sem país do mundo, ocupa parte da Turquia, Síria e Iraque, e luta pela independência de seu território.

Dessa forma, hoje na Síria há pelo menos cinco grupos armados, isso sem contar os soldados das potências internacionais. A Rússia apoia as tropas do governo da Síria e uma parte dos curdos, que combatem o Estado Islâmico no Curdistão Sírio. Já os Estados Unidos apoiam as forças opositoras contra Assad, mas com apoios pontuais também aos curdos na fronteira com a Turquia, onde já houve bombardeios contra o Estado Islâmico.

NÚMEROS DA GUERRA


5 ANOS DE GUERRA - A guerra começou em 2011, depois de protestos da Primavera Árabe. Opositores e extremistas decidiram se armar para derrubar o governo de Bashar al-Assad, apoiados pelos EUA.

470 MIL MORTOS - Segundo o Centro Sírio para Pesquisa Política, 400 mil sírios foram mortos no conflito e outros 70 mil pereceram devido à falta de água e cuidados médicos. A informação foi divulgada pelo jornal britânico The Guardian, em fevereiro desse ano.

REFUGIADOS - Mais de 11 milhões de pessoas tiveram que deixar suas casas, em meio às batalhas dos grupos armados.


Brasil de Fato
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;