Ter “base” parlamentar tem um preço.

A Advocacia Geral da União, em nome de Michel Temer, pediu ao Supremo Tribunal Federal a a suspensão do andamento de todos os processos e decisões judiciais sobre a concessão para operar de rádio e televisão a empresas (e sua renovação) que tenham parlamentares como sócios até o julgamento do tema pelo STF.

É o que noticia, agora há pouco, o Valor.

No final do ano passado, 40 parlamentares tinham concessões, entre eles, Aécio Neves (MG), Edison Lobão, José Agripino Maia (, Fernando Collor, Jader Barbalho, Tasso Jereissati (PSDB-CE) e o hoje ministro Sarney Filho.

A PGR representou pelo acolhimento da ação e o Governo é contra.


TIJOLAÇO
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: