Vinte e quatro horas após o governador Beto Richa (PSDB) declarar guerra aos estudantes, aumentou substancialmente o número de escolas ocupadas por eles no Paraná. Agora já somam 350 unidades da rede pública, segundo a última atualização do movimento que não vence a velocidade dos acontecimentos.





O tucano despertou a ira dos estudantes ao fingir que negociava, mas, ao mesmo tempo, solicitava na Justiça a reintegração de posse dos estabelecimentos de ensino. Antes do embuste do governador, eram 200 as escolas ocupadas.

“Paira sobre os alunos que ocuparam as escolas no Paraná ordem de reintegração de posse com uso de força policial. Aguardem tragédias”, advertiu nas redes sociais o deputadoRequião Filho (PMDB), líder da oposição na Assembleia Legislativa.

A superintendente da Secretaria de Estado da Educação (SEED), Fabiana Campos, descartou a possibilidade de invasão das escolas pela polícia. “Isso não é verdade. Já me comprometi pessoalmente que não haverá uso da força policial”.

O próprio governador Beto Richa, ao abrir diálogo com a União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), havia jurado não pedir a reintegração das escolas ocupados. No entanto, o tucano não cumpriu a palavra e conseguiu 13 mandados de reintegração em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

O descumprimento do acordo pelo governador do PSDB levou a presidente da União Brasileira dos Estudantes, Camila Lanes, a dizer umas duras verdades a Richa: “você rouba da construção das escolas para pagar sua campanha eleitoral”, atacou em vídeo.

Ao contrário do tucano, a líder estudantil cumpriu como o que prometera ontem de “a cada escola reintegrada, duas [novas] serão ocupadas”.

A realidade é de terrorismo estatal no chão da escola principalmente nas regiões mais longínquas da capital. Por exemplo, no município de Santo Antônio do Sudoeste, o governo usa de estrutura e influência para pressionar a comunidade e os alunos a desocuparem o Colégio Estadual Humberto de Campos. Além desse, na cidade, os estudantes ocupam o Colégio Estadual Antônio Shidel. O movimento tem a advogada Andrea Bandeirarepresentando-o voluntariamente.

A expectativa que até segunda-feira, dia 17, quando inicia a greve por tempo indeterminado dos educadores, todas as 2,1 mil escolas da rede pública do estado estejam ocupadas no Paraná.

Resumo da ópera: Beto Richa perdeu o controle da situação, que é de ingovernabilidade; só há duas alternativas possíveis ou renúncia ou impeachment.


Esmael Morais
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;