O Globo


Manchete : Estados na penúria

Um relatório do Tesouro Nacional mostra que a situação dos estados é bem pior do que os governos declaram. Os gastos com pessoal estão acima do limite fixado em lei em sete estados e no Distrito Federal. Pelos dados declarados pelos governos estaduais, apenas dois estariam nessa situação. Muitos estados maquiam os cálculos e não incluem despesas com terceirizados e com impostos sobre salários. Há discrepância também nos números sobre o rombo da Previdência. Para analistas, o quadro mostra como é importante aprovar as reformas econômicas. (PÁGINA 33)
Municípios à beira da calamidade

Com problemas como luz cortada por falta de pagamento e servidores com salários parcelados, a maioria dos 92 municípios do Rio estuda, como fez o estado, decretar calamidade. Cerca de 30 cidades têm dívidas de R$ 80 milhões e sofrem as consequências da crise do governo estadual que, sem verba, cortou repasses até para Saúde. (PÁGINA 13)
Patrimônio de Cunha pode ser 53 vezes maior que o declarado

Documentos da Lava-Jato indicam que o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso anteontem, tem patrimônio ao menos 53 vezes maior do que o declarado. Ao abrir conta num banco suíço, ele registrou ter US$ 20 milhões, muito acima do R$ 1,2 milhão informado no Brasil. Na primeira noite na carceragem da PF em Curitiba, sozinho numa cela, Cunha jantou feijão, arroz, frango e salada. E recebeu macarrão instantâneo e refrigerante. (PÁGINAS 8 a 10 e Merval Pereira)
Vantagem de Crivella para Freixo cai 9 pontos

A diferença entre Crivella e Freixo na disputa pela prefeitura do Rio caiu de 26 para 17 pontos, segundo o Ibope. Crivella perdeu 5 pontos e teria hoje 46% dos votos. Já Freixo subiu 4 e foi a 29%. Eleitores de Pedro Paulo e Indio no 1º turno migraram para Freixo. (PÁGINA 3)
Homicídio doloso em Mariana

O MP denunciou 22 pessoas, 21 delas por homicídio doloso, pelo rompimento da barragem em Mariana, em novembro de 2015, quando 19 pessoas morreram. (PÁGINA 11)
Cármen Lúcia faz defesa da mídia

Em fórum da Associação Nacional dos Editores de Revistas (Aner), a presidente do STF, Cármen Lúcia, reafirmou que a democracia só existe com liberdade de imprensa. (PÁGINA 11)
Lava-Jato e Moro nas telas

O filme sobre a gigantesca investigação de corrupção começará a ser rodado mês que vem. A direção já está autorizada a gravar no prédio da PF em Curitiba, revela ANDRÉ MIRANDA. (PÁGINA 10)
Cabral admite que ganhou joia de Cavendish (Pág. 7)


Virada em BH: Kalil passa Leite pela 1ª vez (Pág. 6)


Ancelmo Gois

O estilo Crivella e a política da “bica d’água”. (PÁGINA 6)
------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo


Manchete : Moro defende prisões e vê ameaça à magistratura

O juiz federal Sérgio Moro defendeu ontem “aplicação vigorosa da lei” para superação da “corrupção sistêmica”. No dia seguinte à prisão do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o magistrado afirmou que as detenções provisórias da Operação Lava Jato são necessárias e “processos não podem ser um faz de conta”. Segundo ele, as críticas às prisões cautelares não encontram eco na análise de casos concretos. “Jamais e em qualquer momento se defendeu qualquer solução extravagante da lei na decretação dessas prisões”, disse a desembargadores e juízes. Moro também atacou projeto do Senado que muda a lei de abuso de autoridade e disse que ele pode ser “um atentado à independência da magistratura”. “Esse projeto representaria uma tentativa de retrocesso no contexto atual.” Para o juiz, “às vezes a Justiça é um labirinto” e “pode ser manipulada para não chegar a bom termo”. (POLÍTICA / PÁG. A4)
Planalto em busca de apoio

A prisão de Eduardo Cunha fez o Planalto tentar mostrar força no Congresso para afastar o clima de crise. Michel Temer ligou para pedir apoio a aliados na votação da PEC do Teto. (PÁG. A4)
Denúncia aponta propina de R$ 29 mi a Collor

O senador Fernando Collor (PTCAL) é acusado pela Procuradoria- Geral da República de ter recebido pelo menos R$ 29 milhões em propina de 2010 a 2014 referentes a dois contratos da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobrás. (PÁG. A6)
Eduardo Cunha contrata defensor de delatores

O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha contratou o advogado Marlus Arns, que atuou em acordos de delação de empresários alvo da Lava Jato. Entre eles, Dalton Avancini, Eduardo Leite e Paulo Augusto Santos, da Camargo Corrêa. (PÁG. A6)
Estados ocultam rombo em contas de previdência

Dados do Tesouro Nacional mostram que o buraco nas previdências estaduais é R$ 18 bilhões maior do que o informado. Dez Estados tiveram nota de classificação rebaixada e só 14 podem receber empréstimos da União. (ECONOMIA / PÁG. B3)
MPF denuncia 21 por tragédia de Mariana (Metrópole / pág.. A18)


Belo Monte entra na mira de chineses (Coluna do Broad/ pág. B2)


Coluna do Estadão

A investigação da Lava Jato sobre a refinaria de Pasadena se aproxima de Dilma. (POLÍTICA / PÁG. A4)
Eliane Cantanhêde

Eduardo Cunha vai fazer delação, Collor está na pior e o problema é o sistema. (POLÍTICA / PÁG. A6)
Notas & Informações

Banco Central pagou sem ver

Ao cortar os juros para 14%, mais uma vez o BC paga adiantado sem segurança de contrapartida. (PÁG. A3)

Descompasso educacional

Falta de profissionais qualificados mostra descompasso entre educação e demandas do País. (PÁG. A3)
------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo


Manchete : Aposentadoria faz disparar gastos de cidades e Estados

Servidor inativo representa, em média, 24% da despesa estadual com pessoal

Gastos com aposentadorias e pensões puxaram as despesas de Estados e municípios em 2015, mostra levantamento do Tesouro Nacional. Em relação a 2014, o aumento real (descontada a inflação) estadual foi de 28,41% e o municipal, de 12,1%.

No ano passado, segundo o estudo, os servidores inativos representaram 24%, em média, da despesa com pessoal dos Estados e do Distrito Federal. Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina lideraram a alta de gastos no período comparado.

Entre medidas necessárias apontadas pelo Tesouro estão controle de reajustes e gastos com comissionados, redução de terceirizados e mudanças nos benefícios dos servidores. 0 governo federal pode incluir o último tópico na reforma da Previdência.

Hoje, 14 das 27 unidades da federação têm nota A ou B em 2016 em relação à capacidade de pagamento. A avaliação serve para aprovação pelo Tesouro de empréstimos com juros mais baixos, que são vetados aos nota C, como São Paulo. (Mercado A17)

Procuradoria acusa 21 por mortes em tragédia ambiental

O Ministério Público Federal denunciou 21 pessoas da Samarco e de suas controladoras (Vale e BHP Billiton) sob a acusação de homicídio com dolo eventual pela ruptura de barragem em Maria-na (MG) que causou desastre ambiental e deixou 19 mortos em novembro de 2015.

Se o pedido for aceito pela Justiça, os denunciados viram réus e podem ir a júri popular. As empresas repudiam a acusação. (Cotidiano B1)

Governo Alckmin é condenado por excessos da PM

O Estado de São Paulo foi condenado pela violência da Polícia Militar durante a repressão aos atos de junho de 2013. A decisão, de juiz da 10a Vara da Fazenda Pública da capital, ordena o pagamento de R$ 8 milhões por danos morais sociais. A gestão Alckmin (PSDB) recorrerá da decisão. (Cotidiano B5)

Cunha contrata advogado que já mediou delação de 2 executivos

Preso em Curitiba, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha contratou o advogado Marlus Oliveira, que negociou as delações premiadas de dois executivos da Camargo Corrêa na Lava Jato.

0 defensor, porém, disse que um acordo do peemedebista “não está no horizonte” e que é preciso estudar o processo. Oliveira não vê motivos para a prisão de Cunha e pedirá sua soltura. (Poder A4)
Reinaldo Azevedo

Benefícios dados a delatores têm de chegar ao fim

Cunha está preso, e há quem espere sua délação. A Lava Jato não tem de parar de investígar. Mas é evidente que os benefícios para delatores têm de chegar ao fim. Concedê-los a Cunha me parece imoral. Se fez o que o MPF diz que fez, que pague. Ou a operação pode acabar sendo reino da impunidade dos graúdos. (Poder A6)

Brookfield compra braço da Odebrecht por R$ 2,8 bilhões

Em um negócio de R$ 2,8 bilhões, a Brookfield, gestora canadense de fundos, comprou 70% da Odebrecht Ambiental, braço de saneamento da empreiteira. Investigada na Lava Jato, a Odebrecht tenta vender empresas e participações desde 2015 para reduzir sua dívida, que gira em torno de R$ 100 bilhões. (Mercado A20)


STF nega pedido de Dilma para anular o impeachment (Poder A6)


------------------------------------------------------------------------------------
Mídia
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: