O Globo






Manchete: Gasolina deve cair mais e ajudar na redução de juros



Com nova política da Petrobras, inflação pode voltar ao centro da meta

Preços de combustíveis caem pela 1ª vez desde 2009, e ações da estatal sobem até 3,17%. Para ministro da Fazenda, empresa agora tem independência, e tarifas deixaram de ser ‘definidas pelo Executivo’

Pela primeira vez em sete anos, a Petrobras anunciou redução de 3,2% no preço da gasolina e de 2,7% no diesel que entrará em vigor hoje. Nas bombas, o valor dos combustíveis deve ficar R$ 0,05 mais baixo. A estatal divulgou também que, na sua nova política, os preços vão variar com mais frequência. Economistas já esperam novas reduções nos próximos meses, já que a gasolina no Brasil ainda está 12% mais cara que no exterior. Com isso, a inflação deve ceder e ficar perto do centro da meta em 2017, que é de 4,5%. E crescem as chances de o BC reduzir a taxa básica de juros na semana que vem. Analistas elogiaram a mudança na estatal, e as ações da empresa subiram até 3,17%. (Págs. 23 e 24)

MÍRIAM LEITÃO

Controle de preço foi uma das bombas que caíram sobre as finanças da Petrobras. (Pág. 24)


Portos terão mais R$ 500 milhões



O governo vai prorrogar os contratos de dois terminais, em Salvador e Paranaguá, o que deve gerar investimentos de R$ 500 milhões. (Pág. 25)


União promete ao Rio reforço na segurança



O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou que o governo federal atuará junto com as forças do Estado do Rio em um plano de segurança, semelhante ao implantado durante a Olimpíada, que vai privilegiar ações de inteligência. A vinda de tropas também será analisada. (Pág. 13)


Ancelmo Gois



Atraso no pagamento de salário do servidor já afeta comércio lojista carioca

Segundo pesquisa do Clube de Diretores Lojistas, só 42% dos comerciantes contratarão funcionários temporários para as festas de fim de ano e o verão. (Pág. 12)


Miliciano preso apoia Crivella



Marcelo Crivella (PRB) afirmou ontem que precisa do voto de Carminha Jerominho, filha de Jerominho e sobrinha de Natalino Guimarães, presos desde 2008, acusados de comandar a maior milícia do Rio. Carminha declarou seu apoio e o dos parentes ao candidato do PRB. (Pág. 4)


Campanha de Freixo em crise com judeus



Declaração de parte do PSOL, partido de Freixo, sobre a morte de ex-primeiro-ministro de Israel revoltou judeus. (Pág. 5)


Candidato do PRB amplia vantagem



Pesquisa Datafolha mostrou Crivella com 48%, quatro pontos a mais do que na última consulta. Freixo, com 25%, perdeu dois pontos. (Pág. 3)



Prefeito terá que desatar nós para negócios no Rio (Pág. 6)






Colunistas



MERVAL PEREIRA

Mistura de siglas nas conversas para a eleição de 2018. (Pág. 4)

JORGE BASTOS MORENO

Temer quer manter aliança com PSDB para 2018. (Pág. 3)

FLÁVIA OLIVEIRA

Prefeito deve contribuir para a segurança da cidade. (Pág. 7)


Delator acusa Luiz Sérgio, do PT



Delator da Lava-Jato, Zwi Skornicki disse que pagou propina ao deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) para que não fosse convocado para prestar depoimento na CPI da Petrobras, em 2015. (Pág. 8)




Rede estadual tem só 3 mamógrafos



Com a maior taxa de câncer de mama do país, o Estado do Rio só tem três dos sete mamógrafos de sua rede em funcionamento. O exame hoje é feito apenas no Rio Imagem, no Centro. (Pág. 11)


------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo






Manchete: Preço de combustível cai e pode ajudar corte de juros



Gasolina e diesel ficam mais baratos, o que auxilia o combate à inflação e deve influenciar decisão do Copom

A Petrobrás anunciou o primeiro corte no preço da gasolina desde 2009. A partir de hoje, as distribuidoras de combustíveis vão pagar 3,2% menos pela gasolina e 2,7% pelo óleo diesel nas refinarias, mas é possível que parte desse ganho não chegue ao consumidor. Ainda assim, analistas projetam que a decisão da estatal vai auxiliar o combate à inflação, além de reforçar a expectativa de um corte da taxa de juros na reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, na próxima semana. Apesar de a estatal perder receita, a notícia foi bem recebida pelo mercado financeiro. A Bolsa de Valores de São Paulo atingiu o maior nível dos últimos dois anos. A Petrobrás diz que baixou os preços para inibir a concorrência de importadores. Com preços mais competitivos, desde o início do ano eles já tomaram 14% do seu mercado de óleo diesel e 4% do de gasolina. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3 a B5)


Temer fala em ‘credibilidade’



“A Petrobrás baixou os preços dos combustíveis com responsabilidade. Com seriedade, recobraremos a credibilidade no plano internacional”, escreveu o presidente Michel Temer no Twitter. (Pág. B4)


Petrobrás negocia venda da Liquigás ao Grupo Ultra



A Petrobrás negocia a venda da Liquigás, divisão de gás de cozinha da estatal, para a Ultrapar, dona da rede de postos Ipiranga e da Ultragaz. O valor da transação é estimado em R$ 2,7 bilhões. A conclusão do negócio deve ser anunciada em até quatro semanas, informa Mônica Scaramuzzo. Foram analisadas ainda as propostas da holandesa SHV e do consórcio formado entre Nacional Gás e Copagaz. (ECONOMIA / PÁG. B6)


Contra camelô, Doria anuncia ‘shoppings do povo’



O prefeito eleito João Doria (PSDB) disse ontem que há “total falta de controle” em relação ao comércio ambulante em São Paulo. Segundo o tucano, os camelôs deixarão as ruas em seu governo com a criação de “shoppings do povo”. “Eles (ambulantes) vão atuar em espaços públicos organizados, iluminados, seguros e em locais com movimento para atrair potenciais compradores. Não nas ruas”, disse. (METRÓPOLE / PÁG. A16)


Fim de alianças reduziria siglas nas câmaras



Levantamento feito pelo Estadão Dados mostra que a pulverização partidária nas câmaras municipais teria uma redução drástica com a proibição das coligações nas eleições para vereador e deputado, medida que está em debate no Congresso. Em 91% das cidades haveria diminuição no número de partidos com representantes eleitos se a regra tivesse valido na disputa do último dia 2. (POLÍTICA / PÁG. A4)


João Domingos



A depender da reforma política, PMDB e PSDB poderiam se fundir. (POLÍTICA / PÁG. A6)


Estado de SP convoca 20 mil professores (Metrópole/Pág. A22)






Notas & Informações



Pior do que parecia

O novo cenário do mercado de trabalho dá noção dos danos causados pela recessão. (PÁG. A3)

Reforma da reforma agrária

Está mais do que na hora de promover uma reforma agrária sem a visão anacrônica atual. (PÁG. A3)



------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo






Manchete: Preço dos combustíveis cai pela 1ª vez desde 2009



Nos postos, gasolina fica até R$ 0,05 mais barata; valor pode variar todo mês, anuncia Petrobras

A Petrobras anunciou a primeira redução dos preços dos combustíveis desde 2009. Nas refinarias, o custo da gasolina deve cair 3,2%, e o do diesel, 2,7% a partir da 0h de sábado (15). A estatal estima que a gasolina fique 1,4% mais barata para os consumidores (R$ 0,05 por litro). O sindicato dos postos, porém, diz que aqueda deve ser menor, em torno de R$ 0,03—os comerciantes são livres para definir quanto vão cobrar. A empresa também anunciou que, a partir de agora, vai avaliar mensalmente a situação dos combustíveis no mercado internacional para decidir se altera ou não os preços no país. A medida agradou aos investidores, e as ações da Petrobras chegaram a subir mais de 3%. A empresa era criticada por comprometer sua saúde financeira ao segurar os preços sob pressão de seu maior acionista, o governo federal. (Mercado A21)



Brics se reúnem com países em fases desiguais



Os crescimentos de China e Índia e as crises de Brasil, Rússia e África do Sul dificultam a tarefa dos Brics de demonstrar alguma unidade no grupo, que se reúne a partir deste sábado (15) no Estado indiano de Goa, relata a enviada Isabel Fleck. O presidente Michel Temer, que estreia na cúpula, assinará um acordo de cooperação e facilitação de investimentos com a Índia na segunda (17). (Mundo A13)

ANÁLISE

Frente a protecionismo, debate sobre investimento ganha destaque, escreve Marcos Troyjo. (A14)


Odebrecht deve termais 30 delatores na Lava Jato



A Odebrecht deve incluir mais 30 funcionários no acordo de delação premiada que negocia com o Ministério Público. Isso pode fazer o número de delatores da empresa na Lava Jato passar de 80. Os novos nomes foram mencionados por colegas a procuradores. (Poder A4)


Mauro Zafalon



Sem política de longo prazo, etanol vai perder espaço

A decisão da Petrobras é boa pois o governo começa a dar previsibilidade à política de preços dos combustíveis. Mas só previsibilidade não basta. Falta, ainda, política de longo prazo para o setor. Se a redução de preços chegar à bomba de forma integral, o etanol perde competitividade. (Mercado A26)


Crivella amplia a vantagem no Rio, afirma Datafolha



Pesquisa Datafolha aponta que o candidato do PRB, Marcelo Crivella, aumentou em quatro pontos —considerando a margem de erro— a vantagem sobre Marcelo Freixo (PSOL) na disputa pela Prefeitura do Rio. Crivella tem 66% das preferências (considerando os votos válidos), e Freixo, 34%. (Poder A6)


Editoriais



Leia “Preços livres”, sobre adoção de nova política para combustíveis, e “O legado de Beltrame”, a respeito do ex-secretário de Segurança do Rio. (Opinião A2)


------------------------------------------------------------------------------------

Mídia
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;