No dia 20 de outubro de 1991, o ídolo Ayrton Senna tornava realidade o sonho do tricampeonato mundial de Fórmula 1 ao terminar na segunda colocação o GP de Suzuka. O circuito japonês por sinal, foi palco de todos os títulos do piloto – 1988, 1990 e 1991. Para levar o tri, Senna precisava evitar a vitória do inglês Nigel Mansell. Com jogo de equipe estratégico da McLaren, ele deixou seu companheiro de escuderia, Berger, na frente. Na segunda posição, segurou Mansell, que estava em terceiro. Sob pressão, o inglês perdeu o controle do carro, tentou ultrapassar Senna e foi para a brita. Melhor para o brasileiro que comemorou o seu terceiro título mundial e consagrava o ano de 1991 como o melhor da sua carreira. Foram oito poles, sete GPs ganhos e 96 pontos em 16 corridas. Entre as corridas que venceu, está o GP do Brasil, em Interlagos, que Senna conquistou após oito tentativas. Com o título no Japão, o piloto entrou para o seleto time dos tricampeões do mundo. Até então, o feito só havia sido alcançado por Jack Brabham (aos 40 anos), Jackie Stewart (34), Niki Lauda (35), Nelson Piquet (35) e Alain Prost (34). Todos chegaram ao título com mais de 31 anos, idade de Senna ao tornar-se campeão. Ayrton Senna nasceu em São Paulo, no dia 21 de março de 1960 e morreu durante o GP de San Marino, na Itália, no dia 1o. de maio de 1994.



CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS SOBREA HISTÓRIA DE AYRTON SENNA



Imagem: Instituto Ayrton Senna [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons



History
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;