Uma baleia jubarte e seu filhote foram localizados na manhã desta quarta-feira (5) presos em uma região de bancos de areia no litoral do estado australiano de Queensland. Apenas a mãe estava encalhada, e o filhote nadava ao seu redor e a empurrava para tentar tirá-la dali. A força do bebê é tanta que ele consegue mudar a mãe de posição, mas ela ainda ficou presa ali por um bom tempo.

Funcionários do Queensland Parks and Wildlive Services foram enviados ao local para estabilizar a dupla enquanto equipes do Sea World se deslocavam até a região para libertá-los.


A maré alta e os esforços da pequena baleia, porém, foram suficientes para soltar a mãe antes que as equipes do Sea World chegasse. O par conseguiu sair dali 40 minutos depois do início do acompanhamento, mas testemunhas informaram que a mãe já havia ficado encalhada em outra região durante a noite anterior.

Para evitar que mãe e filho ficassem presos novamente, os funcionários acompanharam a dupla até que ela chegasse a águas profundas. “A mãe estava um pouco cansada e estressada”, relatou um dos funcionários. Nenhum dos dois se feriu nos bancos de areia.

É comum que o litoral de Queensland receba a visita de vários tipos de baleia nessa época do ano, já que muitas escolhem a região para ter seus filhotes e criá-los até que fiquem fortes o suficiente para retornar às águas da Antártica.

Não foi a primeira vez que baleias mostraram que têm empatia. No início de 2016 uma dupla de baleias jubarte resgatou uma foca que era perseguida por Orcas, e em 2013 um grupo de baleias cachalote adotou um golfinho que tinha uma deformidade na espinha.
[BBC, Gizmodo]

Veja a força do filhote:





HypeScience
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;