Os barões da mídia devem estar se perguntando: como a gente bate tanto em Lula e ele aparece na frente nas pesquisas, como mostrou a Vox Populi divulgada ontem?

O pesadelo aumenta de tom quando se pensa que, na época de campanha, Lula vai aparecer na televisão, para todo o país, com sua própria versão dos fatos.

E nos debates: alguém pode imaginar Lula no meio de Aécios, ou Alckmins, ou Marinas?

São cenários que apavoram os donos da mídia.

Eles serão forçados a reflexões.

Um fato inescapável é que não basta acusar. Não, pelo menos, quando se trata de Lula. É necessário haver qualidade, consistência nas acusações, e você não encontra nada disso contra Lula.

Ao contrário: o que se viu resvalou muitas vezes o humorismo, como os pedalinhos do mítico sítio de Atibaia. Ou a própria ignorância: duvidaram da existência das palestras de Lula, mesmo com ele sendo sabidamente, depois do segundo mandato, um dos conferencistas mais requisitados e mais caros do mundo.

Mas o erro maior foi a frequência dos ataques. Foram tantos, e tão intensos, que acabaram perdendo a força original.

Em muitos brasileiros — descontados aqueles para os quais o PT é demoníaco — começou a aparecer uma incômoda sensação de perseguição, de vale tudo para acabar com Lula. Muita gente, paradoxalmente, pode ter pensando: “Esse cara deve ter virtudes para ser tão massacrado pelos ricos.”

Entra aí a imagem de Lula como mártir.

E entram também aí as posições de liderança de Lula nas pesquisas — e seu favoritismo claro para 2018.


Diário do Centro do Mundo
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;