A Petrobras é hoje a segunda empresa com maior valor de mercado na Bolsa brasileira. A petroleira vale R$ 211,64 bilhões, ultrapassando em 27 milhões de reais o mais que lucrativo Itaú Unibanco. Só fica atrás da Ambev. O resultado foi divulgado pela consultoria Economatica.

Que milagre é esse?

Uma das causas da indignação popular que saiu trajando verde e amarelo e batendo panelas era que o PT havia afundado a Petrobras, dilapidado o patrimônio da empresa, que levaria dez anos para se recuperar – se é que tinha recuperação – , que era uma crise nunca antes vista.

Esse discurso foi exaustivamente repetido por políticos, parlamentares e empresários golpistas para derrubar Dilma Rousseff. Foram meses e meses de gráficos explicativos e choramingos no Jornal Nacional.

Com um mês e dez dias de Michel Temer como presidente, está tudo azul?? Teve o maior crescimento percentual já registrado pela estatal desde 2000? (ainda segundo a Economatica)

Onde está a mentira? O diabo não era tão feio quanto diziam ou a empresa não vale isso tudo? Porque esses dois quadros não têm como andar juntos.

Pergunte a qualquer dono de uma modesta mercearia de secos e molhados quanto tempo leva para ele se recuperar de um tombo mesmo que pequeno. Digamos, duas vezes o faturamento mensal. Muito tempo, certo?

Então como aquele ‘rombo bilionário’, ‘estratosférico’, fruto dos ‘desmandos da gestão petista’ está sanado e a empresa se valorizou na velocidade de um cometa?

Em conluio com a operação Lava Jato, o tal ‘escândalo do petrolão’ fez com que as ações da estatal despencassem. Isso foi proposital. O declínio dos papéis da Petrobras foi um período excelente para compra e agora a venda garante um ganho espetacular. Isso tudo ocorre na maior cara de pau, pois já nem estão mais preocupados em maquiar um pouquinho que seja o golpe. Já passou pela goela do povo, agora é faturar.

A medida salvadora, a ‘bala de prata’ de Fernando Collor, era um confisco que deixava todos na lona. Cada cidadão viu-se de um momento para o outro com apenas 50 moedas no bolso. Obviamente aqueles que sabiam o que iria acontecer, e muita gente engravatada sabia, sacou o dinheiro antes.

Hoje o truque se repete. Mais uma vez a população foi a única a pagar o pato, enfrenta a tal ‘crise’, perde emprego, aceita redução de salário e aumento de carga horária pois ‘não tá fácil pra ninguém’ e bla bla bla. Como já é de hábito citar no DCM: quem acredita nisso, acredita em tudo.

Ou você acredita que a PEC 241 irá colocar as contas nos eixos e que o teto imposto aos gastos públicos não irá afetar somente áreas como educação e saúde? Meu caro, Michel Temer arrota que está zelando pelas contas, que será o salvador da pátria estraçalhada deixada pelos petistas, que cortou 5.500 servidores. Sim, demitiu. Mas contratou 7.200. O funcionalismo está quase dois mil ‘cargos de confiança’ mais inchado.

Enquanto os ricos permanecerão ricos (alguns ainda mais), os filhos das classes menos favorecidas irão amargar 20 anos de degradação do serviço público que já não é exatamente uma Brastemp. E a Petrobras foi perfeita para o plano. Ela tinha problemas e é uma fábrica de propinas desde a chegada das caravelas. Mas é um fascinante caso de boi-de-piranha que saiu mais gordo do outro lado da travessia.



Diário do Centro do Mundo
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: