Jornal GGN - O  ministro das Relações Exteriores José Serra (PSDB) decidiu acabar com o setor do Itamaraty dedicado ao combate a fome. Segundo informações de O Globo, Serra fez isso para "marcar posição na transição de governo", ou seja, deixar claro que sua gestão não simpatiza nem defende a herança do governo Dilma Rousseff.

O ato de Serra também ocorreu como resposta à ação de Milton Rondó Filho, responsável pela área, ter disparado telegramas nos quais pedia para que as embaixadas designassem um diplomata para dialogar com as organizações da sociedade civil locais sobre o golpe no Brasil e a defesa da democracia. As correspondências foram reveladas pelo GLOBO em maio.

"Dada a repercussão negativa na época, o diplomata foi afastado da função. Com a mudança do governo, toda a coordenação que comandava foi extinta. Tudo foi feito discretamente, no bojo das mudanças feitas quando o ministro José Serra tomou posse assim que a ex-presidente foi afastada", anotou o jornal.
Reconhecido internacionalmenmte, o setor de combate à fome do Itamaraty atuava junto a populações vulneráveis e serviu de modelo para vários outros países em desenvolvimento. O MRE diz que sua extinção não elimina o interesse pelo programa.

“As funções realizadas anteriormente pela CGFOME foram atribuídas a outras unidades do MRE a fim de se manter a continuidade, sendo as operações de cooperação humanitária assumidas pela Agência Brasileira de Cooperação e as atividades de coordenação política assumidas pela Divisão de Temas Sociais (DTS)”, respondeu o Itamaraty.

 GGN
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;