Em entrevista com a presidenta deposta, revista mexicana ressalta 'Fora Temer' em todas as capitais no último 7 de setembro
 
 
Lula Marques/AGPT
 
Dilma afirma que nunca reprimiu protestos contra ela porque 'são parte da política e da democracia'

São Paulo – Para a presidenta deposta Dilma Rousseff, a repressão violenta contra os manifestantes que pedem pela saída de Michel Temer e eleições Diretas Já tende a aumentar "porque os que tomaram o poder ilegalmente não suportam que sua verdadeira natureza golpista seja revelada aos olhos do Brasil e do mundo". A declaração foi dada à revista mexicana Proceso publicada neste mês. 

Na entrevista, Dilma volta a classificar o governo atual como "ilegítimo, golpista e usurpador", e diz que a repressão visa a sufocar "revolta popular" de parte da população que contesta a legalidade do processo de impeachment.
A publicação mexicana anota que tais advertências de Dilma surgem em contexto de crescentes manifestações contra o governo Michel Temer, e cita, em especial, os protestos que tomaram todas as capitais do país, no último feriado da Independência (7), em que milhares marcharam entoando o mesmo grito: "Fora, Temer". 

A reportagem também ressalta que as manifestações impõem desafio a Temer que, em sua primeira reunião ministerial, declarou: "Não vou permitir que me chamem de golpista". "Desde então, a polícia tem reprimido com violência os protestos, sobretudo os que estão sendo realizados na cidade de São Paulo", frisa a revista. 

"Quando eu era presidenta, houve centenas de manifestações contra mim, mas jamais reprimi essas marchas, porque não me incomodavam. São parte da política e da democracia", afirmou Dilma.

RBA
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: