Para filósofo e professor da USP questiona: “A Lava Jato está agora compartilhando informação com o poder executivo?’


Foto: Reprodução/Facebook



Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda de Luiz Inácio Lula da Silva e ex-ministro-chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, foi preso temporariamente nesta segunda-feira, em São Paulo, pela 35ª fase da Operação Lava Jato. A Polícia Federal diz ter indícios da participação dele em um suposto esquema de corrupção envolvendo a Odebrecht.

A prisão aconteceu no dia seguinte à fala controversa do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, durante evento de campanha de Duarte Nogueira (PSDB), adversário de Palocci na cidade do ex-ministro, Ribeirão Preto: “Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, declarou ele, na ocasião, se referindo a uma ação da Lava Jato.

Para o filósofo e professor da Universidade de São Paulo Pablo Ortellado, é “muito preocupante” a declaração do ministro da Justiça seguida da prisão de Palocci: “A Lava Jato está agora compartilhando informação com o poder executivo? Isso significa que os políticos que estão no governo como Geddel Vieira Lima, o próprio Michel Temer e o José Serra deixarão de ser investigados? Porque nada disso acontecia quando o MJ estava sob o comando do Cardozo…”, escreveu Ortellado em sua página de Facebook.



Brasileiros
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;