Em discurso durante o lançamento da campanha internacional “#Standwithlula” (“Estamos com Lula”), nesta terça-feira (20), o ex-presidente Lula falou sobre o atual momento político do país e comentou sobre a perseguição jurídica e midiática na qual está sendo vítima. 

"O Brasil vive um momento muito grave de anomalia política. Dois dias após o impeachment da presidenta Dilma ser votado no Senado, eles mudaram a lei da Pedalada Fiscal, autorizando o presidente a realizar a pedalada", denuncia.

Lula falou sobre a atuação dos procuradores do Ministério Público Federal e chamou a última coletiva de imprensa, realizada na semana passada, de "show de pirotecnia". Segundo ele, hoje o que menos importa no Brasil é a verdade. "O que mais importa é a construção da versão. Eu conto uma versão, que se torna uma manchete de jornal e logo será manipulada pela televisão. A pessoa, independentemente de ser inocente, passa a ser condenada pela opinião pública", diz.

Leia também: #StandWithLula reúne 190 milhões de trabalhadores com Lula

Durante o discurso, Lula lembrou ainda dos avanços do Brasil nos últimos 13 anos com as políticas públicas dos governos do PT. "Não estava previsto na sociologia brasileira, um metalúrgico chegar à presidência. Não estava previsto tirar 36 milhões da pobreza e elevar 42 milhões à classe média. Eu sou responsável pela maior política de inclusão da América Latina. E tenho orgulho disso", afirma Lula.

A campanha #Standwithlula, iniciativa da Confederação Sindical Internacional, representa 180 milhões de trabalhadores sindicalizados de 162 países. A campanha foi divulgada em Nova Iorque, simultaneamente à abertura da Assembleia Geral da ONU.

Confira o discurso do ex-presidente Lula na íntegra:



Lula.com
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;