Ao encontrar em meus arquivos essa foto — que fiz em 8 de de agosto de 1989 — me pus a olhar para a trajetória desse impressionante personagem da vida brasileira. Lula participava de uma pequena carreata numa cidade-satélite em Brasilia, acompanhado de seu companheiro de PT, Luiz Gushiken. Era a primeira tentativa para chegar à Presidência da República. Depois, contra Serra, subiu a rampa do Planalto. Quanta coisa mudou em sua vida de lá para cá …

Fotógrafo que cobre o poder há décadas, tive a primazia de acompanhar, ver de perto, retratar os caminhos de Lula nas mais variadas facetas de sua carreira na política. Desde quando desembarcou pela primeira vez em Brasília, assustado com a profusão de nomes importantes a desfilar nos salões do Congresso, nos idos dos anos 1970. Depois, parlamentar, na tribuna da Câmara. Também nos protestos contra os militares, bradando a favor do impeachment de Collor, subindo a rampa do Planalto como presidente do Brasil, viajando pelo mundo. Altos e baixos.

Interessante a trajetória de vida de Lula, o Luís Inácio da Silva, que daqui pouco mais de um mês, em 27 de outubro, completará 71 anos. O sétimo dos oito filhos de um casal de humildes lavradores no interior de Pernambuco teve, ainda na infância, de seguir com a mãe num caminhão pau-de-arara para São Paulo. Na cidade grande, morou em casa precária e conseguiu ser alfabetizado. Ainda rapazote foi trabalhar como metalúrgico. Ingressou no sindicado da categoria e acabou presidente da entidade. Fundou o PT, Partido dos Trabalhadores. Liderou várias greves durante o regime militar que comandou o Brasil.

Luis Inácio da Silva entrou para a política. Virou Luis Inácio Lula da Silva. Elegeu-se, em 1987, deputado federal para atuar na Constituinte. Ficou famoso, ganhou corpo. Em 1989 resolveu lançar-se candidato a presidente da República. Foi para o segundo turno contra Fernando Collor de Mello, mas não venceu. Depois, candidatou-se novamente à Presidência, contra Fernando Henrique Cardoso. Também não venceu. Chegou, enfim, ao Palácio do Palácio do Planalto para cumprir dois mandatos. Tornou-se o trigésimo quinto presidente do Brasil. Bateu recorde de popularidade, segundo pesquisas.

Lula governou o país de janeiro durante oito anos. Em seu primeiro mandato, viu acontecer o chamado Escândalo do Mensalão, que anos depois culminou com a prisão de vários de seus companheiros, entre eles, José Dirceu, que foi ministro-chefe da Casa Civil da Presidência. Dono de grande carisma junto ao eleitorado, emprestou seu prestígio popular para eleger e reeleger Dilma Rousseff para o Planalto.

O segundo mandato da Senhora Rousseff, como todos vimos, foi turbulento e resultou breve. Dilma sofreu processo de impeachment em agosto passado. Nos últimos tempos, Lula virou alvo de várias acusações, investigações e, nessa semana, acabou sendo indiciado como réu na Operação Lava-Jato. Que futuro reserva o destino para a vida desse marcante personagem da história do Brasil?



Os Divergentes
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;