Formado em Engenharia Química em 1970 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), o cientista Celso Grebogi é o único brasileiro mencionado na 2016 Thomson Reuters Citation Laureates, lista que já previu 39 laureados desde 2002. Mestre em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, mestre e doutor em Física pela University of Maryland (Estados Unidos) e pós-doutor em Física, especializado em Teoria de Sistemas Dinâmicos, pela University of California at Berkeley (Estados Unidos), atualmente o pesquisador ocupa a cátedra Sixth Century Chair em Sistemas Complexos e Não-Lineares da University of Aberdeen, na Escócia.

Em co-autoria com Edward Ott e James A. Yorke, Grebogi está sendo cotado por ter descrito uma teoria de controle de sistemas caóticos, o Método OGY – em referência às iniciais dos cientistas. O ranking da Thomson Reuters aponta pesquisadores cujos avanços são renomados e exercem forte influência na comunidade científica nas áreas de Química, Física, Fisiologia ou Medicina e Economia. O impacto dos estudos é medido pela alta quantidade de citações que eles tenham recebido – apenas no Google Scholar, o brasileiro já foi citado mais de 31 mil vezes, recebendo mais de mil citações todos os anos desde 1995.

O trabalho de Grebogi, Ott e Yorke desafiou a convicção científica de longa data que o caos era incontrolável e virou referência na área. A pesquisa do professor em dinâmica caótica combina métodos e técnicas analíticas com extensos experimentos computacionais de alta tecnologia. O objetivo é estabelecer princípios matemáticos básicos que cientistas e engenheiros possam aplicar em seus próprios campos. Seu trabalho atual concentra-se em biologia de sistemas, neurodinâmica, métodos para controlar o caos, a dinâmica dos sistemas espaço-temporais, processos ativos nos fluxos caóticos, sistemas dinâmicos quânticos relativísticos e nanossistemas – incluindo grafeno e sistemas opto-mecânicos.

Os cotados pela Thomson Reuters para o Nobel deste ano (clique na imagem para ampliar)

O professor declarou que ele e seus colegas de equipe se sentiram honrados com a menção no 2016 Thomson Reuters Citation Laureates. “No entanto, ainda que estejamos muito satisfeitos de ser incluídos, é improvável que possamos competir este ano contra o experimento de gravidade feito no Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory (LIGO), a primeira detecção direta de ondas gravitacionais e um resultado muito aguardado desde a previsão de ondas gravitacionais de Einstein, em 1916”, poderou. “É um privilégio ter o nosso trabalho, que abriu toda uma nova área de pesquisa, mudando filosoficamente a nossa maneira de pensar sobre o caos, em companhia de tamanho avanço na física”.


Em reconhecimento por seu trabalho, que soma mais de 400 publicações e centenas de palestras em conferências, universidades e instituições de pesquisa, Grebogi recebeu vários prêmios e títulos. Entre eles os de doutor honoris causa da University of Potsdam (Alemanha) e da Le Havre University (França), professor honorário da University of Aberdeen (Escócia), da Xi’an University of Technology, da Lanzhou University e da Xi’an Jiaotong University (China). O curitibano é, ainda, membro da Academia Brasileira de Ciências, da Academia Mundial das Ciências da Unesco, da Royal Society of Edinburgh, da American Physical Society e do Instituto de Física do Reino Unido. Na University of Aberdeen fundou, em 2009, o Instituto de Sistemas Complexos e Biologia Matemática, do qual é diretor, e foi co-fundador, em 2013, do Instituto de Matemática Pura e Aplicada.

O Prêmio Nobel de Física será anunciado em 4 de outubro.


HypeScience
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;