Jornal GGN - A estratégia dos candidatos a prefeito de São Paulo no debate da Globo, na noite de quinta (29), reflete o resultados das últimas pesquisas internas: há temor entre os adversários de Fernando Haddad (PT) a respeito das chances de ele repetir o feito na eleição de 2012 e chegar ao segundo turno com uma arrancada bem na reta final da primeira parte da campanha.

Segundo informações publicadas no Painel da Folha desta sexta (29), os chamados trackings (levantamentos telefônicos) feitos por duas campanhas na quinta-feira confirmavam tendência de crescimento de Haddad (que está em quarto), recuo de Marta Suplicy (PMDB), que corre atrás de Celso Russomanno (PRB), o segundo colocado também em trajetória de queda. João Dória (PSDB) e registrou "avanço acentuado", garantindo a liderança.

Para o debate de ontem, a Rede Globo estabeleceu que os três primeiros blocos seriam livres, ou seja, os candidatos escolhiam o tema que queriam abordar e quem seria o adversário a fazer a réplica. O resultado foi Haddad escanteado pelas várias dobradinhas entre Marta e Dória, concordando entre si em 90% das vezes e sempre atirando no petista. Russomanno também evitou confronto com Haddad. Na única oportunidade em que se enfrentaram, o atual prefeito passou uma lição de tecnologia no candidato do PRB, que propõe criar cartões com chip para agilizar o atendimento na saúde.

A coluna de Mônica Bergamo também apurou que para a campanha de Dória, Haddad, Marta e Russomanno chegarão "embolados" no segundo turno.

Nas pesquisas Ibope e nos tracking, Marta tem caído um pouco menos que Russomano, mas é o suficiente para ser "alcançada" por ele, "podendo configurar situação de empate" no segundo lugar.

Haddad, por sua vez, está em quarto, "mas com viés de alta, rumo ao empate com os outros dois". "Os analistas [do PSDB] acreditam que o prefeito pode ter votos envergonhados que só seriam revelados nas urnas."

Na pesquisa Ibope divulgada na quinta (29), Dória segue com 28% das intenções de votos, seguido por Russomanno (22%), Marta (16%) e Haddad (13%). Em relação a pesquisas anteriores, as curvas mostram estagnação de Dória, queda vertiginosa de Russomanno, uma leve retomada por parte de Marta (que perdeu 5 pontos na última quinzena), mas dentro da margem de erro. Haddad também só oscilou para cima dentro da margem de erro de três pontos.

Como o GGN já publicou antes, em 2012, Haddad ocupou o terceiro lugar nas pesquisas durante boa parte da campanha, mas conseguiu chegar ao segundo turno com José Serra (PSDB), excluindo do páreo Russomanno, até então o favorito, praticamente na última semana de campanha.

Na época, o noticiário estava tomado pelo julgamento do Mensalão, mas Haddad e Serra cresceram lado a lado, alternando-se no segundo e terceiro lugar.

No Ibope do dia 26 de setembro, a pouco mais de 10 dias da eleição de 2012, Russomanno tinha 34%, Haddad 18% e Serra, 17%.

Um dia antes do primeiro turno de 2012, Russomanno, Serra e Haddad apareciam empatados no Ibope, com 26% das intenções de voto. No Datafolha, contudo, Serra estava com 28%, Russomanno 27% e Haddad, 24%.

No primeiro turno, o resultado foi Serra 30%, Haddad 28% e Russomanno, 21%.

A eleição em São Paulo acontece em dois dias, no domingo (2).

Hoje, a campanha de Haddad recebe apoio de Lula. Dória, segundo a Folha, vai passar esses últimos dias buscando apoio de evangélicos que atuam nas periferias.

GGN
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;