NA PRIMEIRA ENTREVISTA desde seu afastamento, a ex-presidente Dilma Rousseff citou a declaração em que Michel Temer diz que o impeachment foi motivado por Dilma não aceitar o plano econômico do PMDB, e não por supostas irregularidades praticadas por ela. A fala de Temer foi noticiada em primeira mão pelo The Intercept Brasil na quinta-feira (22) passada.

Veja a declaração de Dilma aqui:




“Além disso, havia também os que, com prontuário, queriam uma outra coisa: ‘Vamos aplicar um programa de governo que não foi aprovado nas urnas, um outro programa de governo.’ E isso tá sendo confessado, tem uma coisa interessante nesse golpe, eles confessam o golpe. Dois dias depois. Eles vão confessando. A última confissão foi feita pelo presidente ilegítimo e usurpador, atual no cargo, que disse o seguinte: ‘nós fizemos o impeachment para poder aplicar o programa Ponte para o Futuro’. Ora, o programa Ponte para o Futuro, que tira direito trabalhistas, tira direitos sociais, que privatiza, que vende as terras a estrangeiros, esse programa não foi aprovado nas urnas. Então, essa é uma outra razão do golpe.”

A entrevista foi conduzida pelo jornalista Bob Fernandes para a TVE Bahia e será transmitida nesta terça-feira, às 20h40, na TVE e no portal do canal.

O comentário da ex-presidente refere-se a um discurso dado por Temer na sede da Sociedade Americana/Conselho das Américas (AS/COA), em Nova York, na quarta-feira passada, dia 21, quando disse que ele e seu partido começaram a articular o afastamento de Rousseff em consequência direta da não aceitação, pela ex-presidente, do programa neoliberal do PMDB chamado “Ponte para o Futuro”.

Veja o vídeo aqui:



No mesmo evento em Nova York, as medidas foram descritas em mais detalhes pelo Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O grupo de empresários na plateia era composto membros corporativos do Conselho das Américas (COA) e convidados das organizações colaboradoras, a AmCham, Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos e BRAiN, Brasil Investimentos & Negócios.

Ao fim da palestra, os investidores tiveram a oportunidade de fazer ao ministro apenas duas perguntas que ilustram bem as preocupações que Dilma cita na entrevista à TVE. Um representante do setor automotivo perguntou “quando será que estrangeiros adquirirão terras no Brasil”, e um participante que não se identificou perguntou sobre os “planos do governo para lidar com possíveis agitações sociais em consequência a essas medidas que afetarão os bolsos de todos os brasileiros”.

A fala inesperada de Temer foi noticiada por vários meios de comunicação da mídia independente, mas foi completamente ignorada por toda a mídia tradicional, com exceção da revista Exame, Carta Capital e Jornal do Brasil.

The Intercept - Brasil
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;