Foto: Mídia NINJA 

Texto: Nunah Alle / Laio Rocha

Quem achou que o povo iria arrefecer sua luta com o passar dos dias, notou que o movimento é contrário: cada dia mais gente vai às ruas protestar por seus direitos e principalmente por democracia. O governo ilegítimo de Michel Temer, nomeado a partir do último dia 1, sofre com mobilizações sociais durante todos os dias de seu "mandato" efetivo, e novamente viu 60 mil pessoas, de acordo com a organização, ocuparem as ruas de São Paulo exigindo sua saída do cargo.


 
Foto: Eduardo Figueiredo / Mídia NINJA

Organizada pelas Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, a manifestação contou com a participação de diversas figuras da política nacional, como os candidatos à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad (PT-SP) e Luiza Erundina (PSOL-SP), além do Senador Lindbergh Farias (PT-RJ), Vanessa Graziottin (PCdoB-AM) e do postulante à câmara legislativa da cidade, o ex-senador Eduardo Suplicy. Todos eles discursaram no carro de som.


 
 Foto: Mídia NINJA

A Avenida Paulista, ou Avenida Fora Temer, foi tomada por manifestantes, que expressaram mais uma vez a pluralidade do coro pela democracia. Homens, mulheres, crianças, trabalhadores, juventude, LGBT’s, negros e negras, todos unificados pelo “Fora Temer! Fora Cunha!”. O Presidente da União Paulista dos Estudantes, Emerson (Catatau) deu o recado dos jovens: “Mais uma vez a juventude vem se colocar para dizer que nós somos contra o Temer, contra a retirada de direitos dos trabalhadores e, nesse momento, é fundamental que a gente possa construir uma saída, e que essa saída seja pela decisão do povo”.

 Foto: Tuane Fernandes / Mídia NINJA

As mulheres, que vem ocupando fortemente as ruas contra Cunha e Temer, reafirmam que o golpe é machista e ataca frontalmente a luta pela igualdade de gênero. A candidata a vereadora e militante do Juntos, Sâmia Bonfim, destaca: “A gente sabe quando tem um governo como o governo Temer são as mulheres as primeiras atingidas pelas suas medidas, e eu acho que é por isso que a repressão contra as mulheres nos atos é tão cruel, por que eles querem tirar a gente dos espaços públicos.”. Porém, apesar das inúmeras tentativas de impor retrocessos às mulheres, a palavra de ordem: “nem recatada e nem do lar, a mulherada tá na rua pra lutar” segue como uma das mais cantadas nas manifestações.

 Foto: Mídia NINJA

A manifestação de hoje contou com um forte apelo pela cassação do Dep. Federal Eduardo Cunha, inimigo nº 1 das mulheres, jovens e da classe trabalhadora; envolvido em diversos escândalos de corrupção será julgado na Câmara na próxima segunda-feira (12). O Dep. Federal Ivan Valente (PSOL) declarou: “Temos certeza que 99% do povo brasileiro quer o Fora Cunha e amanhã ele será cassado em Brasília e espero que em menos de uma semana ele esteja em Curitiba preso”.

 Foto: Tuane Fernandes / Mídia NINJA

O ato pacífico e permeado por lutadores e lutadoras abrilhantava mais uma vez o domingo aberto, quando as primeiras repressões policiais começaram. Sem nenhuma justificativa, a Polícia Militar de São Paulo abordou manifestantes de maneira agressiva e arbitrária apenas por estarem usando máscaras. Cerca de quatro pessoas foram detidas, dentre elas um fotógrafo e uma menor de idade. Nota-se no vídeo que houveram agressões por parte da polícia e também, na condução das mulheres não houve acompanhamento de policial feminina.

 Foto: Tuane Fernandes / Mídia NINJA

Parlamentares e condutores do ato desceram do carro de som para tentar diálogo com a PM e impedir a detenção dos manifestantes, o Senador Lindbergh Farias indignado com a postura repressiva destacou: “Não respeitam o voto popular, não respeitam o direito de se manifestar. Vamos acionar a justiça internacional.” Os detidos foram levados à 78º DP e estão sendo acompanhados por jornalistas, advogados, defensores públicos e também pelo candidato à vereador Eduardo Suplicy.

 Foto: Mídia NINJA

Apesar de mais um episódio lamentável protagonizado pela PM o povo decidiu permanecer nas ruas e seguir com o grandioso ato “Fora Temer! Fora Cunha!”. Manifestantes marcharam com muita resistência até o Parque Ibirapuera exigindo soberania popular, para que a população tenha o direito de decidir os rumos do Brasil pós-golpe.

 Foto: Eduardo Figueiredo / Midia NINJA

Próximo ao encerramento, a cultura veio firme mostrar que também quer a saída do presidente golpista, se apresentaram hoje “O Teatro Mágico” e a cantora “Tiê”, que se somaram à luta dos movimentos sociais desde o início do processo de impeachment. Foram milhares hoje nas ruas, mais um domingo de luta e resistência popular. O povo segue dando o recado que não será fácil para os golpistas a escalada pela retirada de direitos. O grito a favor da democracia e pelas Diretas Já!, apontam uma nova jornada de lutas, que irá reescrever as páginas da história do nosso país.



Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;