“Se tiver alguém fazendo algum tipo de composição neste processo é Deus”, disse a advogada Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment da presidenta eleita, Dilma Roussef, ao rebater a acusação de que tudo se resume a um golpe parlamentar, em conluio com a mídia e o judiciário.



Se consideramos o argumento da advogada, Renan, Sarney, Romero Jucá, Sérgio Machado e todos que tramaram um pacto pra colocar Michel Temer no lugar de Dilma, seriam abençoados por esse deus.

Há provas da obra divina, gravações em que os privilegiados confessam participação numa conspiração pra destituir a presidente com o objetivo inequívoco de barrar as investigações da Lava Jato.

Mas, há quem mesmo ouvindo e vendo, não quer acreditar.

“É um acordo botar o Michel num grande acordo nacional. Com o Supremo, com tudo. Com tudo, aí parava tudo”, disse Machado, o delator que revelou intimidade com as maiores lideranças políticas da república.
O deus de Janaína teria feito parte dessa composição diabólica pra proteger políticos investigados por corrupção.
Um deus golpista e desonesto.

Me perdoem a redundância.
Blog da Luciana Oliveira
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;