O primeiro-ministro japonês Shinjo Abe pagou o simpático mico de aparecer vestido de Super Mario – simbolo da marca japonesa de games Nintendo -, numa avant-première do que farão as corporações eletrônicas (e também as automotivas) para recolocarem o país, tanto quanto possível, no papel de protagonista da Ásia.

Nós, aqui, fizemos o contrário. E não se culpe o povo, que foi o dono da festa.



É, acho eu, o primeiro caso de um presidente da república que se esconde da maneira torpe como a que se viu, substituindo sua presença na tribuna por uma aparição, na véspera, num chiqueirinho de grades para protegê-lo da…imprensa!

Mandou, como se manda um moleque, o presidente da Câmara em seu lugar para a cerimônia de encerramento e mesmo este só foi depois de lhe garantirem que seu nome nem sequer seria pronunciado.

A tentativa de impedir não só as vaias como cartazes e camisetas que lhe diziam “Fora!” espalhou pelo mundo a imagem de sua impopularidade.

Daqui a dez dias começa suas viagens para “apresentar-se ao mundo”, sem perspectivas de ter de continuar a andar pelas sombras, em corredores isolados, porque haverá “Fora Temer” em qualquer parte do mundo aonde vá.

Aliás, antes mesmo disso já tomou seu primeiro “fora”, quando o governante do Japão recusou-se a ir a Brasília cumprimentá-lo às escondidas.

Não quis juntar o Super Mario ao Mini Michel.



TIJOLAÇO
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;