O primeiro-ministro japonês Shinjo Abe pagou o simpático mico de aparecer vestido de Super Mario – simbolo da marca japonesa de games Nintendo -, numa avant-première do que farão as corporações eletrônicas (e também as automotivas) para recolocarem o país, tanto quanto possível, no papel de protagonista da Ásia.

Nós, aqui, fizemos o contrário. E não se culpe o povo, que foi o dono da festa.



É, acho eu, o primeiro caso de um presidente da república que se esconde da maneira torpe como a que se viu, substituindo sua presença na tribuna por uma aparição, na véspera, num chiqueirinho de grades para protegê-lo da…imprensa!

Mandou, como se manda um moleque, o presidente da Câmara em seu lugar para a cerimônia de encerramento e mesmo este só foi depois de lhe garantirem que seu nome nem sequer seria pronunciado.

A tentativa de impedir não só as vaias como cartazes e camisetas que lhe diziam “Fora!” espalhou pelo mundo a imagem de sua impopularidade.

Daqui a dez dias começa suas viagens para “apresentar-se ao mundo”, sem perspectivas de ter de continuar a andar pelas sombras, em corredores isolados, porque haverá “Fora Temer” em qualquer parte do mundo aonde vá.

Aliás, antes mesmo disso já tomou seu primeiro “fora”, quando o governante do Japão recusou-se a ir a Brasília cumprimentá-lo às escondidas.

Não quis juntar o Super Mario ao Mini Michel.



TIJOLAÇO
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: