Na noite de ontem, no Jornal Nacional, Renata Vasconcelos entrevistava o maior medalhista olímpico brasileiro, Isaías Queiroz, e seu parceiro Erlon Silva e quis saber como os dois, vindos do interior da Bahia, começaram a praticar um esporte tão pouco conhecido como a canoagem; ambos atribuíram o que conquistaram ao programa Segundo Tempo, lançado pelo ex-presidente Lula em abril de 2003, com apenas quatro meses de mandato, como instrumento de inclusão social por meio do esporte; Globo, que reverenciou os atletas, tenta destruir, há mais de dois anos, a imagem do ex-presidente Lula, numa campanha que arrastou construtoras e a própria economia brasileira



247 – A Globo, que há dois anos lidera uma campanha contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já quebrou as principais empreiteiras do País e colocou a economia brasileira na maior recessão de sua história, viu ontem dois heróis olímpicos atribuírem seu sucesso a um programa lançado por ele, em seu primeiro mandato: o Segundo Tempo.

Na edição do Jornal Nacional, a apresentadora Renata Vasconcellos quis saber como dois atletas, Isaías Queiroz, nascido em Ubaitaba (BA), e Erlon Silva, de Ubatã (BA), começaram a praticar um esporte tão pouco conhecido, a canoagem, mesmo longe dos centros mais desenvolvidos do País.

A resposta foi um tapa com luva de pelica. "A gente começou com um programa do governo federal, o Segundo Tempo, que tinha vôlei, futebol e canoagem. Como eu gostava de água, fui para a canoagem", disse Erlon. "Mesma coisa, foi no Segundo Tempo, um programa do governo federal e do Ministério do Esporte", disse Isaquias, o maior medalhista brasileiro em todos os tempos.

O Segundo Tempo foi lançado pelo governo Lula em abril de 2003, quando ele tinha apenas quatro meses de mandato, como um instrumento de inclusão social. Naquele momento, o Brasil nem sonhava em sediar as Olimpíadas – direito conquistado apenas em 2009.

Em 2003, quando o Segundo Tempo começou, Erlon tinha apenas 12 anos. Isaquias, por sua vez, tinha apenas 9. Nenhum dois dois poderia imaginar que chegaria tão longe.

Assista, aqui, à reportagem do Jornal Nacional.

Abaixo, a notícia de quando o Segundo Tempo foi lançado:

23/04/2003 às 12:27h - Ministérios do Esporte e da Educação lançam o programa Segundo Tempo

Os ministros do Esporte, Agnelo Queiroz, e da Educação, Cristóvam Buarque, assinaram hoje protocolo de cooperação para desenvolver projetos de parceria entre os dois ministérios. O primeiro programa será o “Segundo Tempo”, que criará uma estrutura nas escolas públicas, para o estudante permanecer na instituição em tempo integral. A idéia é que nesse tempo os alunos desenvolvam atividades esportivas, culturais e pedagógicas.

O programa vai beneficiar 100 mil crianças na fase inicial. Ao final dos quatro anos do governo Lula, o benefício deverá ter atingido quatro milhões de crianças e adolescentes em todo o País, segundo meta dos dois ministérios. Agnelo e Cristóvam destacaram que o programa “Segundo Tempo” faz parte de uma estratégia de governo para melhorar a qualidade da educação e tirar crianças e adolescentes da violência e das drogas.

Agnelo Queiroz acredita que o programa “Segundo Tempo” além de incentivar a inclusão social por meio da prática esportiva, permitirá ainda uma melhor formação das crianças e adolescentes. De acordo com a proposta, a criança ficará durante um turno na escola e, no outro, fará atividades pedagógicas. Nesse período, ela poderá fazer seus deveres escolares, receber reforço alimentar e ainda praticar uma atividade esportiva.

“A proposta desse programa é tornar a escola atrativa e alegre”, destacou Cristóvam. Ele também lembrou que esporte tem um papel importante no processo de formação do cidadão e poderá contribuir na redução da evasão escolar, que hoje atinge 60% dos alunos do ensino médio.

“Esse é um programa que dá oportunidade às crianças, cuja situação familiar não permite maiores investimentos no desenvolvimento escolar”, disse Agnelo. O Ministério do Esporte está firmando parcerias com o Sesc, clubes sociais, organizações não-governamentais (ONGs), prefeituras e as Forças Armadas para ampliar o programa.

Ação de governo – O projeto é parte da iniciativa do governo Lula em fazer uma ação articulada entre seus ministérios. A principal função de cada um neste caso será capacitar os professores de educação física de todo o país, oferecendo cursos aos profissionais. O Ministério do Esporte deverá, ainda, distribuir material esportivo para as escolas e o Ministério da Educação terá a função de esclarecer as universidades do País para que disponibilizem seus estudantes de educação física para trabalhar como monitores dos programas.

A cooperação entre os dois ministérios foi elogiada pelo presidente da Comissão de Educação e Desporto da Câmara, deputado Gastão Vieira (PMDB-MA), que esteve presente ao ato de assinatura. Segundo ele, o acordo mostra que o governo tem o firme propósito de melhorar a qualidade do ensino brasileiro. “O esporte é um grande instrumento educacional, de lazer e rendimento”, destacou o ex-jogador e deputado Deley (PL-RJ).


Brasil 24/7
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;