Há uma nova modalidade de ataque à democracia. Ela é mais sutil. Sem canhões, sem prisões, sem fechamento de veículos de comunicação, sem cassações de deputados, sem tiros, sem violência explícita, sem juízes sendo afastados de suas funções.

É um novo tipo de ruptura democrática, mas é um golpe. Um golpe pós-moderno, que busca prioritariamente fazer o que todo golpe faz, defender interesses do capital. Trata-se de um processo que vem sendo denunciado ainda quando ele era apenas um embrião pelos blogueiros, jornalistas e ativistas que escrevem neste livro. Antes mesmo que os golpeados acreditassem que isso pudesse acontecer.

Golpe 16 é o trabalho de quem faz a luta pela democratização da informação e que não se rendeu ao pensamento único. Mostra um lado da história escondido pela mídia tradicional, com artigos que buscam abordar os diversos aspectos da construção de um atentado à democracia, quem são seus articuladores e suas principais vítimas.

Organizado por Renato Rovai, a obra traz textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin.

Além dos artigos analíticos, o livro traz uma entrevista com Dilma Rousseff. O prefácio é assinado pelo ex-presidente Lula.
Glauco Faria
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: