Mas é claro que o Sol
Vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior
De endoidecer gente sã
Espera que o Sol já vem

Aragão sobre Genoíno: “esse gigante da política brasileira”. Fotos Marcelo Auler e reprodução

Em um momento que gestos como estes são cada vez mais raros no mundo de uma maneira em geral, incluindo a sociedade brasileira, por solidariedade ao ex-deputado José Genoíno, o subprocurador da República, Eugênio Aragão, em carta aberta ao Tenente Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, Comandante da Aeronáutica e Chanceler da Ordem do Mérito Aeronáutico, devolveu a medalha e o diploma da Ordem do Mérito Aeronáutico, no grau de comendador, que recebera em outubro de 2007.

Ao tomar esta decisão, pedindo que seu nome seja excluído do quadro de homenageados pela Força Aérea Brasileira, Aragão, que por poucos meses foi ministro da Justiça do governo de Dilma Rousseff, atropelou a condenação de Genoíno no processo do Mensalão e deixou claro sua posição a respeito do político que seus colegas de procuradoria denunciaram:


“Não posso participar de um quadro que excluiu esse gigante da política brasileira de seus graduados, por mais que outros possam, desconhecendo a pessoa de José Genoíno, lançar-lhes juízos injustos”

Em sua carta ele ainda elogia os militares brasileiros – “tenho tido, por toda minha vida profissional, alto apreço pelas Forças Armadas Brasileiras, incluindo-se a Aeronáutica”. Recorda trabalhos conjuntos que desenvolveu com elas: “tenho boa lembrança, também, do inestimável apoio que a Força Aérea deu ao desintrusamento do Parque Indígena Yanomami, em Roraima, que tive a honra de acompanhar, conhecendo, de perto, a competência, a dedicação, o compromisso social e o patriotismo dos militares empregados na operação.”. Mas critica fortemente a “exclusão do corpo de graduados especiais da Ordem, de José Genoíno Neto, no grau de comendador (Portaria n.º 920, de 26 de julho de 2016, publicada no D.O.U. De 18 de agosto de 2016″.

O subprocurador, passa por cima de tudo o que seus colegas da Procuradoria Geral da República acusaram Genoíno com o seu depoimento pessoal:

Na carta ao comandante da FAB, Aragão expõe: “Não vejo autoridade moral em ninguém que haja provocado essa iniciativa mesquinha, que não encontra nenhum amparo legal, estando sujeita, apenas, ao juízo discricionário da administração”oe?

“Independentemente do juízo que se formou na esfera judicial sobre o honrado cidadão mencionado, conheço-o e sua trajetória de muito amor pelo País, em prol da justiça social, das políticas inclusivas e da grandeza do Brasil no concerto das Nações. Poucos brasileiros tanto exerceram o patriotismo sincero, inclusive com elevado risco e sacrifício pessoal, como José Genoíno, pessoa correta e moralmente irretocável. Tenho certeza que a história lhe fará justiça que estes tempos de crise e desamor com o avanço social lhe negam”

Para o ex-ministro, a atitude mesquinha foi tomada pelos membros do atual governo que assumiu a partir do golpe do impeachment para destituir a presidente Dilma eleita com 54 milhões de votos. Ele afirma na carta/ofício.


“Não vejo autoridade moral em ninguém que haja provocado essa iniciativa mesquinha, que não encontra nenhum amparo legal, estando sujeita, apenas, ao juízo discricionário da administração, conforme os respectivos decretos regulamentares”.

Ao concluir a carta, expõe a dor que sente, usando para tal os versos de Renato Russso em, “Mais uma vez”, mostrando-se confiante ainda em “um amanhã melhor”, Da música, o Blog Marcelo Auler destaca ainda os versos que caem muito bem para os atuais ocupantes do governo Temer:


Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Tem gente enganando a gente

Acrescento uma informação que vi no Jornal GGN, do Luís Nassif:

Atendendo a um pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a Aeronáutica excluiu Genoíno e José Dirceu, condenado no mensalão e na Lava Jato, do Corpo de Graduados Especiais da Ordem do Mérito Aeronáutico.

Segundo o jornal Correio Braziliense, a exclusão retirou de Dirceu o grau de Grande-Oficial. Já Genoíno perdeu a condecoração de comendador, a mesma concedida a Aragão. Genoíno e Dirceu também perderam honrarias concedidas pelas Forças Armadas. Em julho, eles já haviam sido excluídos da Ordem do Mérito Naval. Há três anos, perderam a Medalha do Pacificador, máxima condecoração dada pelo Exército.

Marcelo Auler
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;