Ex-presidente Lula recorda o dia em que o Brasil conquistou, em seu governo, o direito de sediar os Jogos Olímpicos que se iniciam hoje; "No dia 2 de outubro de 2009, em Copenhague, o Comitê Olímpico escolheu o Rio para sediar os Jogos 2016. Pela primeira vez um país sul-americano iria sediar as Olimpíadas. Um país que estava vencendo a fome e a desigualdade, gerando empregos e distribuindo renda na plena vigência da democracia"; para infelicidade do Brasil, um golpe solapou a democracia, colocou o interino Michel Temer no poder e o Brasil abre a primeira Olimpíada da América do Sul como um país que não tem nem o respeito dos vizinhos e envergonha o mundo




247 – Em seu site, o ex-presidente Lula lembrou, em um texto publicado nesta quinta-feira 4, do dia em que o Brasil conquistou, em seu governo, o direito de sediar os Jogos Olímpicos que se iniciam hoje, com uma cerimônia de abertura no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

"No dia 2 de outubro de 2009, em Copenhague, o Comitê Olímpico escolheu o Rio para sediar os Jogos 2016. A delegação brasileira, chefiada pelo ex-presidente Lula, festejou com emoção a vitória sobre as fortes concorrentes: Chicago, Tóquio e Madri. Pela primeira vez um país sul-americano iria sediar as Olimpíadas. Um país que estava vencendo a fome e a desigualdade, gerando empregos e distribuindo renda na plena vigência da democracia", diz o início do texto.

Para a infelicidade do Brasil, no entanto, um golpe solapou a democracia, colocou o vice-presidente Michel Temer no poder, no lugar da presidente Dilma Rousseff, que foi afastada por um processo de impeachment, e o Brasil abre a primeira Olimpíada da América do Sul como um país que não tem nem o respeito dos vizinhos e envergonha o mundo.

De 25 chefes de Estado que estarão no Brasil por alguns dias para a abertura dos Jogos, por exemplo, apenas um marcou um encontro oficial com Temer: o presidente da Armênia, Serj Sargsyan. Além disso, pesquisas de opinião dão conta de que a maioria esmagadora da população brasileira rejeita o interino e defende novas eleições para o País antes de 2018.

Lula termina seu texto de forma otimista, demonstrando acreditar que a democracia brasileira será retomada com a rejeição ao impeachment de Dilma no julgamento final que será feito pelo Senado no final de agosto.

"Hoje vivemos um momento político muito distinto daquele de 2009 – com a democracia e as conquistas sociais ameaçadas por um golpe de estado parlamentar. O país vive sob um governo provisório que planeja entregar nossas riquezas – a começar pelo pré-sal – e levar o Brasil de volta ao segundo time. O povo brasileiro, que já superou golpes e ditaduras ao longo da história, vai certamente retomar o caminho do desenvolvimento com inclusão social, o caminho da democracia plena em um país com oportunidades para todos", conclui o artigo.

Leia aqui a íntegra.



Brasil 24/7
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;