O cheiro acre do gás lacrimogêneo pairou ontem sobre a rua da Consolação, em São Paulo, onde a Polícia Militar dispersou com bombas e cassetetes um protesto estudantil. Um outro confronto entre policiais e secundaristas, na Praça Roosevelt, já havia produzido 13 prisões, inclusive a apreensão de alguns menores, segundo publicou no Facebook o movimento Território Livre. Os estudantes não protestavam contra Temer mas contra o projeto “escola sem partido”, que tramita na Câmara, apoiado por um movimento conservador, e visa esvaziar de conteúdos críticos os currículos e práticas pedagógicas no ensino fundamental e médio. Mais informações emhttps://www.facebook.com/tlivre

A ação policial contra os estudantes foi mais um ensaio da escalada repressiva que se anuncia no horizonte da vida depois do golpe. Precisamos nos adaptar ao lema de Temer, Ordem e Progresso. É disso que falam ensaios como este, bem com a proibição de protestos nos Jogos Olímpicos do Rio. Precisamos entender que daqui para a frente tudo será diferente, não haverá complacência com protestos, movimentos sociais, com aquela farra democrática a que estávamos acostumados.

Temer tenta enquadrar o Brasil mas é enquadrado pelas elites. Por isso disse aos empresários que não será candidato à reeleição em 2018. Com os sinais de reprovação à gastança e ás medidas populistas, os que de fato mandam no país avisaram ao interino que está para ser efetivado: “não foi para isso que te colocamos aí”.

Mas para implementar a agenda neoliberal que é a razão do impeachment de Dilma, Temer vai ter que reprimir. E para isso, é bom ir ensaiando. Um ensaio no Rio, outro em São Paulo, afora as operações atabalhoadas contra supostos terroristas. Tudo isso lembra um passado que parecia sepultado. Não é paranoia. Não vê quem não quer.


Brasil 24/7
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;