Brasileiros residentes na Suíça lançaram o Manifesto de Zurique, com apoio de intelectuais como Jean Ziegler, sociólogo, deputado europeu e um dos principais intelectuais suíços, autor de livros como "A Suíça, o Ouro e os Mortos", "A Suíça Lava Mais Branco" e "Os Senhores do Crime"; assista



Intelectuais na Suíça lançam um Manifesto contra o golpe no Brasil. Em um evento que reuniu jornalistas, intelectuais e artistas suíços e brasileiros foi lançado o "MANIFESTO DE ZURIQUE", que conta com o apoio e a assinatura de um dos principais escritores e políticos da Suíça, Jean Ziegler, sociólogo, durante 30 anos professor da Universidade de Genebra e deputado no parlamento Suíço. Ziegler é um dos mais importantes intelectuais de esquerda da Europa, crítico do neo-liberalismo internacional, autor de livros polêmicos como "A Suíça, o Ouro e os Mortos", "A Suíça Lava Mais Branco" e " Os Senhores do Crime“ e é hoje membro permanente do Conselho Consultativo da Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas.

Além do sociólogo suíço, o argentino Afonso Pérez Esquivel, Prêmio Nobel da Paz de 1980, apoia o movimento de Zurique. Políticos brasileiros como Jean Wyllys, Jandira Feghali, Eduardo Suplicy, Carina Vitral e ativistas e intelectuais como o escritorFernando Morais, a cantora paulista Fabiana Cozza, a escritora Adriana Lisboa e Marcelo Dias do Movimento Negro Unificado também participam do Manifesto. Para o noite do lançamento foi gravado um vídeo, no qual expressam seu apoio e sua preocupação com o governo interino de Michel Temer e a forma como as políticas sociais e de inclusão vêm sendo desmanteladas.

Uma mesa redonda com a presença do diretor do Centro de Estudo Latinoamericano da Universidade de Zurique, Jens Andermann e dos ativistas Franklin Frederick e Karin de Fries da ALBA-SUíZA levantou temas importantes sobre o momento político atual na América Latina e as causas do golpe no Brasil. Os interesses geopolíticos dos Estados Unidos na região, o envolvimento do capital financeiro internacional, do BRICS, do Mercosul e a localização das bases militares americanas no Continente também foram temas do debate.

Para fechar a noite, os músicos brasileiros Yara Borges (piano), João Bastos (flauta), Gecy Marty (percussão) e Magali Kriebel (voz) interpretaram uma paródia de „Asa Branca“ de Luiz Gonzaga e a atual composição „Golpistas“ de Caio Prado. A leitura do „Manifesto de Zurique“ foi feita pelos atores Kátia Hofacker e Manuel Zuber.

O Manifesto de Zurique já conta com mais de 500 assinaturas, sendo os primeiros a assinarem o documento, 55 líderes sindicais de diversos países presentes em Genebra no XXII Encontro Internacional dos Sindicalistas por ocasião da sessão anual da OIT, quando foi realizado o ato „Somos Todos Contra o Golpe“, organizado pela Central Unica dos Trabalhadores CUT-UNIA no último junho.

Assista


Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;