Jornal GGN - A assessoria da Procuradoria da República no Distrito Federal divulgou nesta quinta (21) que o Ministério Público Federal denunciou à Justiça de Brasília o ex-presidente Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai, o ex-senador Delcídio Amaral, o banqueiro André Santos Esteves, o ex-assessor de Delcídio, Diogo Ferreira Rodriguez, o advogado Edson Siqueira Ribeiro Filho, e o filho de Bumlai, Maurício Barros Bumlai. Todos são acusados de "agirem irregularmente para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato".

Os detalhes da denúncia não serão divulgados em função do sigilo dos autos. O MPF requereu o levantamento do sigilo após o recebimento da denúncia. O caso já havia sido denunciado pelo procurador geral da República Rodrigo Janot, em dezembro do ano passado, ao Supremo Tribunal Federal. No entanto, em decorrência da perda de foro privilegiado por Delcídio, que foi cassado pelo Senado, a denúncia foi enviada à Justiça Federal do Distrito Federal.

Com essa redistribuição, o Ministério Público Federal do Distrito Federal foi acionado para se manifestar sobre a ação penal e concluiu pela confirmação integral da denúncia prévia do PGR.

Além de confirmar os elementos apresentados, o procurador da República Ivan Cláudio Marx - o mesmo que pediu, na semana passada, o arquivamento da investigação sobre as pedaladas de Dilma Rousseff - faz acréscimos à peça inicial, com o objetivo de ampliar a descrição dos fatos e as provas que envolvem os acusados, diz a nota da Procuradoria.

Os crimes apontados estão previstos nos artigos 2º, § 1º, da Lei nº 12.850/2013, art. 357 do CP e art. 355 do Código Penal, que versam sobre organização criminosa, exploração de prestígio e traição, na qualidade de advogado ou procurador, do dever profissional.

Lula apareceu na delação de Delcídio, que foi preso em flagrante a pedido da PGR por tentativa de obstrução à Lava Jato. Delcídio foi gravado pelo filho do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, oferecendo dinheiro e elaborando uma rota de fuga para o caso do réu da Lava Jato conseguir da Justiça autorização para sair do regime fechado. Preso, Delcídio fez um acordo de delação premiada que denunciou uma série de políticos e Lula, que teria sido o mentor do plano oferecido a Cerveró.

GGN
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: