Jake Dyson, um inventor britânico, criou uma lâmpada de LED que mantém seu brilho por mais de 40 anos. Pode ser a luz mais inteligente, mais barata e mais amiga do ambiente já criada. Dyson é o fundador da Jake Dyson Lighting, que ele fundou em 2004 e é agora uma subsidiária da Dyson, empresa criada por seu pai, James Dyson. A empresa vende apenas dois modelos de lâmpadas: a CSYS, uma lâmpada de chão e mesa, e o Cu-Beam, uma lâmpada de teto. Ambas contam com LEDs que Dyson diz serem projetados para durar uma vida inteira, desde que não sobreaqueçam.

“Nos dois modelos existem tubos de calor que canalizam o calor para longe dos LEDs e o dissipam para fora da sala,” Dyson disse ao site Tech Insider. “Isso ajuda a mantê-los frescos e protegê-los dos danos que ocorreriam de outra maneira”.

Sem estes danos, os LEDs podem durar 40 anos em pleno brilho. Mas mesmo depois disso, eles não apagam, esclarece Dyson. Eles ainda vão funcionar, mas com cerca de 70% de sua intensidade original.
Desafiando o mercado

O que faz disso ago novo é que, contra-intuitivamente, a maioria das empresas simplesmente deixa as lâmpadas aquecerem. Embora elas pudessem poupar os clientes da tarefa de substituir as suas lâmpadas – a tecnologia de dissipação de calor já existe em microprocessadores e satélites – muitos fabricantes ainda preferem opções de baixa tecnologia.

Para Dyson, o motivo é simples. “O mercado de lâmpadas descartáveis ​​vale bilhões de dólares por ano em todo o mundo, de modo que alguns fabricantes não estão interessados ​​na criação de produtos de iluminação que duram uma vida”, diz ele. “Eu vejo alguns paralelos para quando meu pai foi pioneiro no primeiro aspirador sem saco. Naquela época, outros fabricantes rejeitaram a ideia porque vender sacos de vácuo descartáveis ​​era lucrativo”.

Dessa forma, o objetivo mais ambicioso de Dyson não é apenas reinventar a lâmpada. Ele quer mudar a forma como as pessoas pensam sobre a iluminação em geral, da mesma forma que Edison fez quando ele deu às pessoas uma alternativa para a queima de óleo. A economia para os consumidores no longo prazo pode ser substancial, talvez centenas ou milhares de dólares.

A redução do desperdício também faria bem para o planeta. “Eu gostaria de ver mais fabricantes pensando de forma sustentável, desenvolvendo produtos de iluminação que não precisam de lâmpadas que precisam ser jogadas fora depois de um período relativamente curto de tempo”, diz ele. [Tech Insider]


HypeScience
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;