Advogados de defesa solicitaram o desbloqueio à Justiça, argumentando que o deputado e sua família podem ficar sem “verbas alimentares”


Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados, pediu à Justiça que desbloqueie sua conta-salário, por meio da qual o parlamentar recebe a remuneração de R$ 33,7 mil mensais.

A defesa de Cunha alega que o deputado e sua família precisam do dinheiro para “verbas alimentares” e “sobrevivência”, solicitando o desbloqueio de “todos os valores […] que advenham de suas atividades funcionais”.

Além disso, os advogados argumentam que a restrição à conta-salário não está prevista em lei e que a ação teria sido um equívoco do juiz Augusto Cesar Pansini Gonçalves, da 6ª Vara Cível da Justiça Federal do Paraná.

Atualmente, o peemedebista mora na residência oficial da presidência da Câmara, mas deixará o imóvel e seguirá para um apartamento concedido a deputados.

Mesmo afastado do mandato pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o benefício foi aprovado por cinco membros dos sete que compõem a Mesa Diretora. O novo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também defendeu a proposta.

Foto: Luis Macedo – Câmara dos Deputados



Portal Fórum
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;