Jornal GGN - Sob o comando de Michel Temer (PMDB), o governo federal arrecadou R$ 12 bilhões a menos em impostos e contribuições no acumulado de maio e junho. Foram R$ 193,68 bilhões neste ano, em comparação aos R$ 206 bilhões no mesmo período do ano passado, em valores corrigidos pelo IPCA. Os dados foram divulgados pela Receita na quinta-feira (28).

O governo alega que o principal motivo para a queda na arrecadação é a desaceleração da atividade econômica, que atingiu a pior marca em seis anos tanto em junho, como no acumulado do primeiro semestre.

De dezembro de 2015 a maio deste ano, a produção industrial teve queda de 10,27%, a venda de bens recuou 9,8% e o valor em dólar das importações caiu 30%. Isso significa que o governo recebeu menos impostos de empresas e pessoas, afirmam.

No acumulado de maio e junho, o resultado também é ruim quando a análise é sobre o superávit primário. No período, o déficit somado é de R$ 24,27 bilhões, quase 50% maior que os R$ 16,32 bilhões registrados no mesmo intervalo do ano passado. No semestre, o rombo é de R$ 32,5 bilhões, o maior desde 1997.

O governo aponta que o resultado negativo no semestre foi provocado pela Previdência Social, que viu seu rombo para R$ 79 bilhões. Em 2016, o governo prevê que o déficit da Previdência some R$ 149 bilhões, quase o dobro do registrado em 2015.

GGN
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;