O Ministério Público Federal mandou arquivar a denúncia criminal referente às chamadas “pedaladas fiscais” da presidente Dilma Rousseff. Diante da falta de objeto de investigação, parlamentares decretam o fim do impeachment no Senado.

“Ministério Público não vê crime de responsabilidade nas supostas pedaladas de Dilma Rousseff. Fim do impeachment”, afirmou o senador Roberto Requião (PMDB-PR) em sua conta no Twitter.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), membro titular da comissão do impeachment, também vai na mesma linha. Ela ingressou com impedido para que o procurador da República Ivan Cláudio Marx seja ouvido pelo colegiado sobre o arquivamento que isenta Dilma.

“No caso da equalização de taxas devidas ao BNDES referentes ao PSI, não há que se falar em operação de crédito já que o Tesouro deve aos bancos a diferença da taxa e não ao mutuário (…) há um simples inadimplemento contratual quando o pagamento não ocorre na data devida, não se tratando de operação de crédito. Entender de modo diverso transformaria qualquer relação obrigacional da União em operação de crédito”, diz um trecho do parecer do MPF.


O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) igualmente diz que o processo de impeachment está desmoralizado e não há como levá-lo adiante.

Abaixo, a senadora Gleisi Hoffmann gravou um vídeo sobre o tema:


Com informações do blog do repórter Marcelo Auler.

Leia a íntegra do parecer que arquiva a denúncia de “pedalada fiscal” contra Dilma:

http://docs.google.com/viewerng/viewer?url=http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2016/07/Arquivamento_Pedalada_Final.pdf


Blog do Esmael
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;