O Globo

Manchete : Proposta da União deve dar alívio de R$ 5 bi ao Rio
A proposta de renegociação das dívidas estaduais que o governo federal apresentará hoje aos governadores pode render um alívio de R$ 5 bilhões aos cofres do Rio. O presidente interino, Michel Temer, e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vão oferecer aos estados, em reunião no Palácio do Planalto, uma carência do valor total das parcelas por dez meses, embora a reivindicação original fosse de dois anos. Se aceita, a medida vai permitir aos 27 estados adiar o pagamento de R$ 30 bilhões. No encontro, também deve ser decidido o socorro extra de R$ 2,9 bilhões para o Rio, que decretou estado de calamidade pública. Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, que enfrentam grave crise, devem pressionar Temer para receber uma ajuda semelhante, o que até pode inviabilizar os recursos prometidos ao governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles.

(PÁGINAS 6 a 8)

Dornelles: ajuda federal será só para a Olimpíada
O repasse da União será investido só no metrô e na segurança dos Jogos, disse o governador em exercício, Francisco Dornelles. Segundo ele, a Olimpíada é um evento do Brasil e não pode fracassar.
(PÁGINA 6)

Invasão, tiroteio e morte no Souza Aguiar
Maior emergência do estado, o Hospital Municipal Souza Aguiar foi invadido por 25 bandidos armados com fuzis e explosivos, na madrugada de domingo. Na operação ousada, o bando resgatou o traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus. Durante a invasão, que teve tiroteio dentro e fora do hospital, um paciente morreu e duas pessoas ficaram feridas. O vigilante Ronaldo Luiz Marriel de Souza, de 35 anos, que chegava à emergência levado por um PM, foi morto no confronto. O policial e um técnico de enfermagem foram baleados. O funcionário da unidade está em estado grave. Informada três dias antes sobre o plano de resgate dos bandidos, ligados a uma das maiores facções criminosas do estado, a PM alega ter reforçado a segurança do local com cinco homens, mas a medida não impediu o crime. O governador em exercício, Francisco Dornelles, pediu rigor nas investigações.
(PÁGINA 10)

Infraero busca sócio para Santos Dumont
O governo planeja abrir o capital do Santos Dumont e de Congonhas, vendendo até 49% da participação da Infraero nos terminais, informam DANILO Fariello e GERALDA DOCA. A capacidade de expansão dos aeroportos é limitada, mas a avaliação é que o setor privado pode explorar novas áreas e receitas comerciais, com lojas e serviços.
(PÁGINA 17)

TCE engavetou 21 processos
O TCE engavetou por quase 6 anos 21 processos sobre a reforma do Maracanã, apesar de constatados repasses indevidos de R$ 93 milhões às empreiteiras, contam JULIANA CASTRO e CHICO OTAVIO. Com a obra na mira da Lava-Jato, os processos deverão ser retomados.
(PÁGINA 3)

Executivo desiste de delatar
José Antunes Sobrinho, um dos donos da Engevix, que citara pagamento a Temer, desistiu de delação.
(PÁGINA 4)

Ricardo Noblat
Diante da Lava-Jato, desafio das elites é se renovar.
(PÁGINA 2)

Antônio Gois
Aumento de gastos não melhorou ensino, mas gerou inclusão.
(PÁGINA 22)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete : Delator diz que Odebrecht tinha banco para propina
Vinícius Veiga Borin, operador do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht - que funcionava como central de propinas, segundo investigadores da Operação Lava Jato -, disse que a empreiteira tinha banco e 42 contas para pagamentos de recursos ilícitos no exterior. Em 2010, Borin trabalhava no Antigua Overseas Bank e se associou a executivos da Odebrecht para comprar a filial de um banco em Antígua, paraíso fiscal no Caribe, informam Mateus Coutinho e Julia Affonso. Eles adquiriram a filial desativada do Meinl Bank, de Viena, que passou a abrigar a maior parte das contas para pagamento de propinas, segundo Borin.

Em delação premiada, ele contou que as contas movimentaram US$ 132 milhões. Entre elas estão a Klienfeld, a Innovation e a Magna, que fizeram depósitos na conta Shellbill, do marqueteiro João Santana, na Suíça, no valor de US$ 16,6 milhões, disse o delator. O valor é quase o triplo dos US$ 6,4 milhões identificados pela Lava Jato em depósitos para Santana no exterior. (Política/Págs. A4 e A5)

Apelidos identificavam transações

Segundo Vinícius Veiga Borin, as transações da Odebrecht tinham nomes como “Kibe" e “Dragão", que aparecem em planilhas apreendidas. (Pág. A4)



Governo quer dar 10 meses de moratória a Estados
Depois do aceno de socorro de R$ 3 bilhões para o Rio de Janeiro, governadores se reúnem hoje em Brasília para pressionar a União por um acordo de negociação da dívida dos Estados. Eles fizeram proposta formal de moratória por dois anos. A Fazenda ofereceu apenas um mês de suspensão total dos débitos e queda gradual da carência de 5% a cada mês. Assim, no primeiro mês seriam 100%, no segundo, 95%, até chegar a zero. Mas a ala política do governo defende a suspensão por dez meses para apaziguar a questão. (Economia/Pág.B3)

A anticampanha :: José Roberto de Toledo
Sem verba de empreiteiras, campanhas dependerão da internet. Pesquisa do Ibope mostra que 51% dos eleitores se informam pelas redes sociais. (Pág. A6)

Ministro quer liberar venda de terra para estrangeiro
O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, defendeu, em entrevista à Coluna do Estadão, a liberação da venda de terras para estrangeiros, como forma de ampliar o crédito. “Hoje estrangeiro não pode comprar terra. Isso tem uma consequência no crédito, porque os bancos de fora, que emprestam no Brasil, não podem receber as terras como garantia”, disse. O governo vai enviar mensagem ao Congresso sobre o tema. Blairo também sugere que o presidente Michel Temer viaje para a China para negociar o aumento das exportações de produtos agrícolas e ajudar o País a sair da crise. (Política/Pág. A4)

Luta por um cobertor no centro de SP
Moradores de rua se amontoam para receber roupas e cobertores no centro de São Paulo. Na noite de sexta-feira para sábado, o Estado acompanhou a rotina na região. Sem-teto chegam a se agredir quando voluntários distribuem comida. A cena lembra a de campos de refugiados no exterior. (Metrópole/Pág. A13)

Notas & Iinformações
A utilidade da comissão do impeachment

O trabalho desmonta o argumento de que o processo é “golpe”. (Pág. A3)

Vigilância responsável

A expectativa é por um novo modo de governar, para recolocar o País nos trilhos do desenvolvimento. (Pág. A3)


------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Desigualdade no país volta a crescer com o desemprego
Efeito da escalada do desemprego no país, a desigualdade social voltou a aumentar com força no primeiro trimestre deste ano, após anos de queda contínua.

A tendência de alta na distância entre a renda dos ricos e dos pobres é verificada em estudo do professor da USP Rodolfo Hoffmann, especialista em políticas sociais, a partir de dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Desde 2015, quando começou o segundo mandato da presidente afastada, Dil-ma Rousseff (PT), a desigualdade entre os que compõem a força de trabalho no país aumentou quase 3%.

Já a taxa de desemprego subiu de 7,9% para 10,9%.

O aumento da desigualdade no período mais recente ocorre devido à redução da renda dos mais pobres.

A renda da população que ocupa a base da pirâmide caiu no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2015.

Para estimar o impacto das demissões, Hoffmann considerou na pesquisa só a renda procedente do trabalho (excluindo pensões, aluguéis e benefícios) e incluiu a população desocupada.

Segundo o IBGE, 11 milhões de pessoas tentaram, sem êxito, se ocupar de janeiro a março.

(Mercado A15)

Temer vai cobrar contrapartida para socorrer Estados
O Planalto quer o compromisso de ajuste nas contas públicas dos Estados antes de renegociar suas dívidas. Em reunião com governadores hoje, o presidente interino, Michel Temer, deve definir o tempo de moratória e quais Estados exigem tratamento especial.

(Mercado A19)

Bandidos resgatam traficante carioca em ação de cinema
A um mês e meio da Olimpíada, um bando armado invadiu o principal hospital público do Rio para resgatar o traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o “Fat Family”. Um paciente foi morto no tiroteio. A cúpula da segurança no Rio sabia do plano, mas não conseguiu evitar a invasão.
(Cotidiano B5)

Olimpíada ajudou a quebrar Estado, diz especialista norte-americano (Esporte B4)

Italo Nogueira : Nova crise cria o temor de que Rio repita Atenas-04 (Opinião A2)

Editoriais
Leia “Distorção parlamentar”, acerca de ameaça de Renan a Janot, e “Erros aos bilhões”, sobre cálculo do impacto do reajuste do funcionalismo.
(Opinião A2)


 Mídia
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;