Pretexto de golpe era necessidade de reforma constitucional que reafirmasse princípios democráticos; um dos presos da ditadura foi José 'Pepe' Mujica

O discurso do presidente do Uruguai, Juan Maria Bordaberry em 27 de junho de 1973, transmitido através do rádio e da televisão marca o início da ditadura no país. Naquele dia, Bordaberry com o apoio das Forças Armadas, perpetra o golpe de Estado, fechando o Senado, a Câmara dos Deputados e anunciando a criação de um Conselho de Estado para substituir o parlamento. O pretexto era a necessidade de uma reforma constitucional que reafirmasse os princípios republicanos-democráticos. Três dias depois, Bordaberry tornou ilegal a Convenção Nacional de Trabalhadores, prendendo seus dirigentes.


Juan María Bordaberry
A ditadura uruguaia se estendeu de 27 de junho de 1973 a 28 de fevereiro de 1985, marcada pela proibição dos partidos políticos, a ilegalidade dos sindicatos, a censura à impresa e a perseguição, prisão, desaparecimento e assassinato de opositores.

Durante a década de 1960 houve um processo de deterioração social e política com um notável aumento dos conflitos, que incluiu a luta armada de guerrillas urbanas, entre as quais se destacou o Movimento de Libertação Nacional-Tupamaros. Grupos de extrema-direta como o Esquadrão da Morte e a Juventude Uruguaia de Pé também entraram en ação. Entrementes, as Forças Armadas foram assumindo crescente protagonismo político até que, com o apoio do presidente Bordaberry, decidiram dar um golpe de Estado.

Em 1972, o exército e a polícia prenderam os dirigentes tupamaros Raul Sendic, José Mujica, Eleuterio Huidobro e outros seis por delito de sedição. Permanecerecam encarcerados em quase total incomunicação até o fim da ditadura militar. Também em condições muito duras estiveram reclusos os deputados Jaime Perez, Wladimir Turiansky, Gerardo Cuesta e José Luis Massera.

Bordaberry, desejando devolver os militares aos quarteis, nomeia em fevereiro de 1973 o general Antonio Francese como Ministro da Defesa. O Exército e a Força Aérea desconheceram a autoridade do novo ministro. Os militares queriam não só “trazer segurança para o desenvolvimento nacional” como também “participar da reorganização moral e material do país’.

O conflito institucional levou a que Bordaberry aceitasse determinadas condições dos militares no chamado Acordo de Boiso Lanza. Uma das consequências do acordo foi a criação do Conselho de Segurança Nacional.

Na mesma madrugada em que se gestou o golpe de Estado, a Convenção Nacional de Trabalhadores convocou a greve geral mais longa da história do país, que durou 15 dias.

Em 1975 Bordaberry imaginou a criação de um órgão executivo que não tivesse de ser eleito pelo voto popular, o Conselho da Nação, integrado por personalidades, membros da Suprema Corte, figuras de grande relevância e comandantes das Forças Armadas.



Paraguai 'voltou ao passado' com projeto neoliberal imposto após impeachment de Lugo, diz economista
ONU e CIDH manifestam preocupação com medidas do governo Temer para EBC e CGU
Manifestantes protestam contra ministro da Cultura do governo Temer na sede do Mercosul em Montevidéu
PUBLICIDADE




Em 1º de junho de 1976, Bordaberry condicionou a permanência no cargo com a aceitação de suas propostas: presença dos militares na condução da República, institucionalizada por meio de reforma constitucional; soberanía nacional exercida mediante plebiscitos ou pelo Conselho da Nação; proibição das ideias e agrupamentos marxistas; eliminação da democracia representativa; o presidente da República seria eleito para um período de cinco anos pelo Conselho.

A proposta desagradou os militares que acabaram por rechaçá-la. Em 11 de junho ocorreu a última tentativa de conciliação. Nem os generais aceitaram o plano do presidente nem este concordou em firmar centenas de proscrições de políticos.

No dia seguinte, a Junta de Generais enviou uma carta a Bordaberry informando ter perdido a confiança e retirando o apoio, dando conta do fato ao vice-presidente Alberto Demicheli.

Em 12 de junho Demicheli assume a presidência, substituído em 1° de setembro por Aparício Mendez que é empossado para um período de cinco anos. Em sentido estrito, nem os militares destituíram nem este renunciou. Tampouco o fez Demicheli. Até 1º de março de 1977, quando deveria terminar o mandato de Bordaberry, coexistiram de jure três presidentes.

Em 30 de novembro de 1980, o povo rechaçou mediante plebiscito, o projeto de reforma constitucional proposto pelo regime, dando começo a um lento processo de abertura política.

Depois das eleições de 25 de novembro de 1984 em que triunfa o Partido Colorado, assume finalmente em 1º de março de 1985, Julio Maria Sanguinetti, retornando o poder aos civis.


Opera Mundi
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário:

0 comments:

-Os comentários reproduzidos não refletem necessariamente a linha editorial do blog
-São impublicáveis acusações de carácter criminal, insultos, linguagem grosseira ou difamatória, violações da vida privada, incitações ao ódio ou à violência, ou que preconizem violações dos direitos humanos;
-São intoleráveis comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos, assim como comentários de tom extremista, violento ou de qualquer forma ofensivo em questões de etnia, nacionalidade, identidade, religião, filiação política ou partidária, clube, idade, género, preferências sexuais, incapacidade ou doença;
-É inaceitável conteúdo comercial, publicitário (Compre Bicicletas ZZZ), partidário ou propagandístico (Vota Partido XXX!);
-Os comentários não podem incluir moradas, endereços de e-mail ou números de telefone;
-Não são permitidos comentários repetidos, quer estes sejam escritos no mesmo artigo ou em artigos diferentes;
-Os comentários devem visar o tema do artigo em que são submetidos. Os comentários “fora de tópico” não serão publicados;