"Diante dos maiores processos de mobilização popular que o Brasil já conheceu, amplamente contra o golpe e pelo Fora Temer, é estreito que seja o Senado quem decida, sozinho, os destinos da democracia e do futuro do Brasil", escreve o sociólogo Emir Sader, colunista do 247; "Daí a necessidade da convocação de uma Consulta Popular, em que o maior número de pessoas expresse sua opinião sobre um tema tão transcendental para o país e que afetará a vida de todos", defende ele; "Os brasileiros precisam opinar se querem a continuidade desse governo interino que cotidianamente corta direito das pessoas, promove um retrocesso brutal nas conquistas de todos, impõe um modelo econômico fundado nos interesses dos banqueiros e contra a maioria esmagadora da população ou se prefere a retomada do modelo de desenvolvimento econômico com distribuição de renda", completa



O Brasil mudou muito nestes últimos meses. Mudou para muito pior no que depende do governo que, apesar de interino, promove um desmonte do que o país construiu de mais importante neste século, com privatizações, cortes de recursos para políticas sociais, ameaças sobre os direitos dos trabalhadores, além da reinserção subordinada do Brasil no mundo. Mas mudou para muito melhor na mobilização da sociedade brasileira na rejeição do golpe e do governo que surgiu dele.

Depois das decisões tomadas pela Câmara e pelo Senado, as atenções se voltam sobre a decisão final em agosto sobre a continuidade do governo golpista ou a vitória do Fora Temer e a volta da presidente Dilma Rousseff. Naqueles momentos o clima geral era a favor do golpe, com o governo atuando no varejo para tentar impedir sua derrota. Agora, ao contrário, o clima geral é contra o golpe e o governo interino atua ferozmente no varejo – com nomeações, promessas, liberação de recursos, etc., etc., - para tentar impedir sua derrota.

Diante dos maiores processos de mobilização popular que o Brasil já conheceu, amplamente contra o golpe e pelo Fora Temer, é estreito que seja o Senado quem decida, sozinho, os destinos da democracia e do futuro do Brasil.

Daí a necessidade da convocação de uma Consulta Popular, em que o maior número de pessoas expresse sua opinião sobre um tema tão transcendental para o país e que afetará a vida de todos. Os brasileiros precisam opinar se querem a continuidade desse governo interino que cotidianamente corta direito das pessoas, promove um retrocesso brutal nas conquistas de todos, impõe um modelo econômico fundado nos interesses dos banqueiros e contra a maioria esmagadora da população ou se prefere a retomada do modelo de desenvolvimento econômico com distribuição de renda.

Se quer a continuidade do governo Temer-Eduardo Cunha, com Henrique Meirelles impondo o interesse econômico dos banqueiros sobre o país, com José Serra falando fino com os EUA e grosso com a Bolívia, ou se prefere um governo comprometido com a democracia política, os direitos de todos e a soberania na política externa.

A Consulta Popular pode ser convocada nos moldes daquelas organizadas anteriormente, agora num prazo curto, dado que se prevê a votação no Senado para o fim de agosto, com a participação ativa de todos os setores que têm se mobilizado pela defesa da democracia, para conseguir a maior participação possível. Para que o povo diga sua palavra entre o Fica Temer e o Fora Temer, se sinta participante dos destinos do país e defina o desenlace da crise profunda e prolongada em que o golpismo jogou o país.

Uma Consulta Popular democrática, aberta a todos, não importa a idade, a região do país, a profissão, importa apenas que queiram dizer sua palavra sobre o presente e o futuro do país, não deixando-o nas mãos de um Congresso que já mostrou que não representa o país e que se deixa vender por promessas e nomeações do governo golpista.

O povo dirá se prefere o Fica Temer ou o Fora Temer.


Brasil 24/7
Axact

Ronaldo

Blogueiro e livreiro, reproduzo as notícias que considero interessante para os amigos e disponíbilizo meu acervo de livros para possíveis clientes. Boa leitura e boas compras.

Poste aqui o seu comentário: